Página Inicial Estudar Onde fazer curso de medicina barato no Exterior

Onde fazer curso de medicina barato no Exterior

Faculdade de medicina no exterior

Faculdade de medicina no exterior, em qual país o curso é mais barato? 

A concorrência é grande, o valor de investimento é alto e a jornada é longa. Para se formar em medicina, é preciso muito mais do que paixão por essa profissão. É necessário empenho e dedicação para trilhar um caminho brilhante até chegar, enfim, a o momento de dizer: ‘eu consegui, sou médico’. E para tentar driblar um pouco todas essas dificuldades, muitos brasileiros estão procurando alternativas e caminhos mais baratos para fazer faculdade de medicina. Será que isso é possível? É sobre isso que você vai ler a seguir.

Para começar é bom ter uma ideia de que o cenário brasileiro é mais ou menos o seguinte: devido às dificuldades com o custeio da graduação em universidades particulares e com a alta concorrência das universidades públicas, muitos estudantes se aventuram, todos os anos, na busca para cumprir o seu sonho além das fronteiras. E isso porque alguns países oferecem condições mais acessíveis para quem quer fazer a faculdade de medicina no exterior.

Durante muito tempo, cursar uma faculdade no exterior foi considerado uma loucura, tamanho era o investimento e a dificuldade em driblar a burocracia. Bom, esses obstáculos continuam existindo, mas hoje em dia, estudar medicina no exterior, principalmente em alguns países da América do Sul, é uma alternativa muito viável para baratear valor da faculdade de medicina no exterior.

Quanto custa faculdade de medicina no exterior? Quais os custos com moradia e alimentação? Muitas pessoas se questionam sobre isso, pois querendo ou não são gastos que você vai ter durante todo o curso no exterior e precisa ser colocado na ponta do lápis para ver se realmente vale a pena sair do Brasil para concretizar o seu sonho de ser médico.

De acordo com a Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Internacionais e Culturais (Belta), quando o assunto é estudar fora, os primeiros destinos que os brasileiros costumam pensar é Canadá, Estados Unidos e Inglaterra. Porém, se a sua intenção é gastar pouco dinheiro, pode esquecer essas opções, pois você vai esbarrar no mesmo problema dos cursos brasileiros: alto custo.

Por isso, abra sua mente e pense em alternativas como Argentina, Bolívia e Paraguai, entre outros países mais em conta para o seu bolso. Entretanto, não se esqueça que ao escolher um país estrangeiro para estudar medicina, você precisa levar em consideração não só o valor do curso, mas também:

  • A qualidade do ensino da instituição, pois ao se forma você vai precisar fazer uma prova aplicada pelo MEC (Ministério da Educação) para reconhecimento do seu diploma.
  • Cultura do país no qual vai estudar, bem como sua língua
  • Despesas extras, como moradia, alimentação e transporte

Onde cursar Faculdade de medicina no exterior ?

Faculdade de medicina no exterior

Não há dúvida de que existem excelentes universidades de medicina por todo o mundo, mas como nesse artigo estamos falando em caminhos alternativos para baratear o seu estudo, essa lista de universidades reduz bastante. Atualmente, entre as opções disponíveis e levando em consideração os vários fatores que citamos acima, podemos destacar:

Paraguai:

Uma das melhores opções para cursar medicina fora do Brasil . O curso de medicina oferecido pela universidade UPE é sério e reconhecido pelo MEC do Paraguai e também do Brasil. O país já se tornou referência para quem quer cursar medicina no exterior porque os preços são bem mais acessíveis e os cursos de muita qualidade e, além de tudo, é possível o aluno falar em Português.

Relatos de estudantes que cursam medicina no Paraguai, mostram que dá para cobrir os custos de moradia, alimentação, transporte e estudo no país com R$1.800,00 mensais, de forma tranquila.

Entretanto é importante levar em consideração que as mensalidades das universidades podem variar de R$550,00 a R$1.500,00. Isso significa que o gasto mensal da sua estadia no país está bem relacionado à faculdade que você vai escolher cursar.

Também é muito importante ficar atento aos gastos extras e tentadores na região, já que no Paraguai se depara com uma infinidade de lojas e barracas nas ruas, todos vendendo de tudo a preços quase irresistíveis.

Argentina:

Outro país referência para o estudo de medicina na America do Sul e, assim como no Paraguai, para entrar na universidade pública não é necessário prestar vestibular. Entretanto, o país possui um pouco mais de limitação burocrática para quem deseja cursar medicina por lá.

Entre os países que estamos selecionando aqui, a Argentina é o que possui o custo de vida um pouco mais elevado, mas isso não é motivo para desanimar. O país oferece ótimas opções de universidades públicas, o que ajuda muito a baratear os custos mensais da sua estadia por lá.

O custo de vida nas cidades hermanas pode variar em uma média de R$1.400,00 mensais, considerando o ensino público e uma moradia mais econômica, a R$4.000,00 mensais se você optar por uma universidade particular.

Se estiver procurando por mais informações sobre como estudar na Argentina, não deixe de conferir esse artigo.

Bolívia:

A Bolívia tem atraído cada vez mais estudantes brasileiros para cursa medicina em alguma de suas universidades renomadas. O custo de vida ainda é mais baixo e a cultura enriquecedora, mas também tem limitações burocráticas que devem ser cumpridas. Nesse caso em especial, é importante ficar atento à alguns preços abusivos que os bolivianos podem cobrar para fazer esse parte mais chatinha.

Para cursar medicina no país, um estudante precisa dispor, em média de R$ 2.000,00 a R$ 2.500,00 mensais, quantia que envolve moradia, mensalidade do curso superior, alimentação e transporte.

As mensalidades das universidades privadas variam entre R$700,00 a R$1.000,00, mas algumas aceitam pagamento semestral ou anual, o que pode baratear ainda mais o custo de vida mensal na Bolívia.

Vale lembrar que os valores citados aqui são apenas uma estimativa de custo vida, pode sabemos que o estilo e as preferências pessoais de cada estudante influenciam diretamente no quanto ele vai gastar mensalmente.

E é muito importante considerar uma reserva financeira extra para eventuais despesas não esperadas, como medicamentos, cursos extras ou qualquer outra necessidade não programada.

Se quiser saber um pouco mais, temos um artigo onde contamos um pouco sobre nossas experiências na área de medicina pela Bolívia.

Revalidação do diploma

Estudar fora do país é sim uma boa alternativa para quem precisa pagar mais barato no cursar medicina, mas é importante lembrar que para atuar como médico no Brasil, quem formou no exterior precisa revalidar o diploma, através do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Universidades Estrangeiras (Revalida).

E quem acredita que o Revalida é um exame simples e tranquilo, as estatísticas provam o contrário, apontando que muitos graduados no exterior não conseguem passar no teste, composto por provas objetivas e práticas. Segundo dados do Inep, em 2014, foram 1,9 mil candidatos inscritos, dos quais apenas 32,6% foram aprovados.

Os dados ainda revelam outros dados importantes:

Maiores índices de aprovação no Revalida

Portugal (72,7%)
Uruguai (70%)
Argentina (60,7%)
Colômbia (60,6%)
Espanha (43,7%)

Com menores índices de aprovação

Bolívia (23,9%)
Venezuela (27%)
México (27,2%)
Paraguai (28,3%)
Rússia (29,4%)

Isso mostra que não existe caminho mais fácil para cursar medicina. Existem sim universidades que oferecem cursos com o custo menor de investimento, mas o seu desempenho e a sua dedicação deve ser o mesmo, ou até mesmo, maior.

Atualmente, os exames de Revalida, para residência e especializações estão altamente complexos, exigem um grau de qualificação bastante elevado. Sem preparo e qualificação com certeza haverá dificuldades para fazer a residência e, de fato, poder exercer a profissão.

Então, escolha o seu destino, a sua universidade e foco nos estudos.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta