Página Inicial Estudar Consórcios entre Brasil e Europa oferecem 400 bolsas

Consórcios entre Brasil e Europa oferecem 400 bolsas

Há oportunidades para estudantes e docentes brasileiros. Inscreva-se

Programa de Mobilidade Acadêmica entre Brasil e União Europeia oferece mais de 400 bolsas de estudos para universitários, pesquisadores e docentes brasileiros. As oportunidades estão distribuídas em três consórcios firmados no primeiro edital do Erasmus Mundus – External Cooperation Window: EBW (Euro Brazilian Windows), EUBRANEX (European-Brazilian Network of Academic Exchange) e ISAC (Improve Skilss Across Continents). As inscrições para as duas primeiras opções já estão abertas. Os prazos se estendem até 19 e 25 de novembro, respectivamente.

Para participar, os interessados devem estar vínculos a uma das universidades parceiras das redes. As cooperações envolvem 20 instituições brasileiras de todas as regiões do País, além de 29 faculdades europeias. Há opções para programas de graduação, doutorado sanduíche e integral, pós-doutorados e intercâmbio de docentes acadêmicos.

Os candidatos devem ter conhecimento da língua inglesa ou do idioma requerido pela instituição de Ensino Superior a que pretende estudar. Para as bolsas de graduação, é preciso ainda ter concluído pelo menos dois anos do curso. Os pós-doutorandos devem ter obtido o título de doutor nos últimos dois anos. Já dos professores, é exigido pelo menos dois anos de experiência na docência acadêmica.

“Como a seleção será feita pela universidade em que o candidato estuda, é importante que ele fique atento também aos pré-requisitos impostos pela instituição”, orienta o diretor de Relações Internacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Geraldo Nunes. Ele sugere ainda que os estudantes em caso de dúvidas procurem o departamento responsável pelo consórcio de sua universidade, além da coordenação do curso.

Segundo o chefe da Assessoria Internacional do MEC (Ministério da Educação), Leonardo Oswaldo Barchini Rosa, as ofertas são dedicadas exclusivamente aos segmentos considerados prioritários ao Plano de Desenvolvimento da Educação. Portanto, as bolsas se destinam às estadias de estudo e pesquisa nas áreas de educação, ciências sociais e engenharias. “A União Europeia permitiu que o MEC contribuísse no planejamento das diretrizes do programa. O que possibilitou alavancar os projetos em direção ao desenvolvimento daquelas áreas que consideramos emergentes e prioritárias”, diz ele.

A duração das bolsas varia de um a 36 meses, segundo o projeto acadêmico na Europa. O período de estudo na graduação corresponde a um ou dois semestres. O mesmo se repete com o programa de doutorado sanduíche. A estadia para os candidatos ao programa de doutorado integral é mais longa e pode durar de dois a três anos. Já o tempo da visita dos docentes oscila de um a quatro meses. Os estudos na União Européia estão previstos para começar em março de 2009.

Os selecionados recebem auxílio mensal, seguro de saúde, passagens áreas de ida e volta e isenção das taxas escolares. O valor da mensalidade para os bolsistas do programa de graduação é de mil euros. O auxílio aumenta para 1.500 euros aos estudantes de doutorado sanduíche e integral. Já os pós-doutorandos ganham 1.800 euros e os docentes, 2.500 euros.

Consórcios

    EBW (Euro Brazilian Windows)

O EBW, comandado pela Universidade do Porto, é composto por 10 universidades brasileiras e 10 europeias. A parceria oferece 143 bolsas, 64 de graduação, 63 de doutorado, três de pós-doutorandos e 13 para o intercâmbio de docentes. Interessados podem se inscrever até o dia 19 de novembro, no site oficial do EBW.

UNIVERSIDADES CONVENIADAS
BRASILEIRAS
EUROPÉIAS
Universidade Federal do Amazonas Universiteit Gent, Bélgica
Universidade Federal de Minas Gerais Technische Universitat Dresden, Alemanha
Universidade Federal do Mato Grosso Universidad Politécnica de Valencia, Espanha
Universidade Federal do Pará Universitat Politécnica de Catalunya, Espanha
Universidade Federal de Pernambuco Universidad de Deusto, Espanha
Universidade Federal do Rio de Janeiro Institut Polytechnique de Grenoble, França
Universidade Federal do Rio Grande do Sul Budapesti Muszaki és Gazdaságtudományi Egyetem, Hungria
Universidade Federal de Santa Catarina Technische Universiteit Eindhoven, Países Baixos
Universidade de São Paulo Lunds Universitet, Suécia
Universidade Estadual de Campinas
    EUBRANEX (European-Brazilian Network of Academic Exchange)

O EUBRANEX, coordenado pela Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, reúne 11 universidades brasileiras e nove europeias. O consórcio oferece 120 bolsas, 60 de graduação, 49 de doutorado, três de pós-doutorandos e oito para o intercâmbio de docentes. As inscrições para o programa podem ser feitas pela Internet até 25 de novembro.

UNIVERSIDADES CONVENIADAS
BRASILEIRAS
EUROPÉIAS
Universidade Federal da Bahia Ceske Vysoke Technicke v Praze, República Tcheca
Universidade Federal do Ceará Ecole Centrale de Nantes, França
Universidade Federal Fluminense Ecole Centrale Paris, França
Universidade Federal do Pará Kungliga Tekniska Hogskolan, Suécia
Universidade Federal de Pernambuco Université Libre de Bruxelles, Bélgica
Universidade Federal do Paraná Universidad de Sevilla, Espanha
Universidade Federal do Rio Grande do Sul Universita degli Studi di Trento, Itália
Universidade Federal do Rio de Janeiro Politechnika Wroclawska, Polônia
Universidade de Brasília
Universidade Estadual de Campinas
Universidade de São Paulo
    ISAC (Improve Skilss Across Continents)

O ISAC, coordenado pela Universidade de Coimbra, em Portugal, reúne 10 universidades brasileiras e 10 europeias. O consórcio oferece 147 bolsas, distribuídas em programas de graduação, doutorado, pós-doutorandos e intercâmbio de docentes. Estima-se que as inscrições para o programa sejam realizadas de 1º a 30 de novembro, na página oficial do ISAC, que ainda está em construção.

UNIVERSIDADES CONVENIADAS
BRASILEIRAS
EUROPÉIAS
Universidade de Brasília Universitat de Barcelona, Espanha
Universidade Estadual de Campinas University of Cambridge, Reino Unido
Universidade Federal de Goiás Ceské Vysoké Uceni Technické Praze, República Tcheca
Universidade Federal de Minas Gerais Universiteit Leiden, Paises Baixos
Universidade Federal do Pará Université de Liège, Bélgica
Universidade Federal de Pernambuco Lulea Tekniska Universitet, Suécia
Universidade do Estado do Rio de Janeiro Universidade do Minho, Portugal
Universidade Federal de Santa Catarina Universitat Stuttgart, Alemanha
Fundação Universidade Federal de São Carlos Università degli Studi di Trento, Itália
Universidade de São Paulo

Processo seletivo

Os consórcios irão estabelecer cotas de bolsas para as universidades brasileiras envolvidas. “Enquanto o EBW e o EUBRANEX decidiram dividir as vagas de forma igualitária, o ISAC optou por distribuição irregular”, aponta o pró-reitor de graduação da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Edgar de Decca. Cada uma delas será responsável por selecionar seus candidatos.

Por fim, uma comissão científica, própria para cada consórcio, será responsável por alocar os bolsistas selecionados nas universidades europeias. “A preferência pelos países de língua portuguesa e espanhola, pela proximidade do idioma, provavelmente será maior. No entanto, as instituições estrangeiras também possuem cotas para o recebimento dos alunos. Desta forma, haverá um trabalho de planejamento para que a distribuição dos alunos seja diversificada”, explica Decca.

Investimentos

A Comissão da Europa, de acordo com a gestora operacional do programa de mobilidade acadêmica do escritório da União Europeia no Brasil, Maria Cristina Araújo, reservou 9,3 milhões de euros para essa primeira etapa do Erasmus Mundus – External Cooperation Window. “A quantia representa mais da metade dos recursos disponíveis para o período de 2007 a 2013, que totaliza 33 milhões euros”, aponta Maria Cristina. Segundo ela, novo edital para a formação de três novos consórcios será lançado entre novembro e dezembro desse ano.

Além do Programa de Mobilidade Acadêmica, contemplado dentro da estratégia de cooperação da Comissão Europeia com o Brasil, Maria Cristina adianta que uma iniciativa similar será lançada para toda a América Latina. “O que ampliará as oportunidades para as instituições brasileiras”, enfatiza ela. O lançamento está previsto ainda para este ano.

Por: Universia.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ola gostaria de saber como faço para fazer a equivalencia dos estudos do ensino pos- medio.
    segue abaixo a minha historia:
    eu fiz o segundo grau normal e depois eu fiz mais dois anos de ensino pos-medio especializacao em Tecnco em mecanica. A minha pergunta que ninguem soube mi responder ate agora è se juntarmos todos os anos de estudos sera igual a 13 anos, ok? Entao como devo proceder neste caso. Eu moro aqui na italia a alguns anos e ninguem sabe mi responder quanto a equivalencia? Gostaria de saber mais uma vez como proceder. Aguardo uma resposta, muito obrigada Juliana Costa

Deixe uma resposta