Página Inicial Emprego Dicas para entrevista de trabalho

Dicas para entrevista de trabalho

Uma entrevista de emprego não se resume a responder uma dúzia de perguntas ou rezar para que seu currículo seja aceito. Aqueles 40 minutos, às vezes, dizem muito mais sobre você do que uma folha de papel cheia de dados (seu currículo). Se muitos profissionais, já empregados, têm dúvidas quanto à forma correta de agir em uma reunião ou até para manter contatos corriqueiros com seus superiores e colegas de trabalho, imagine quando você é o alvo de uma entrevista.

A etiqueta empresarial surgiu para te dar uma força nesses momentos de dúvida. Dominar determinada área técnica não é mais o único fator relevante para o sucesso profissional. “No mercado competitivo de trabalho, é exigido do profissional também a competência pessoal”, afirma Lívio Callado, consultor de marketing pessoal e etiqueta empresarial, autor do livro “Relacionamentos Interpessoais”.

Podemos dividir nossas qualidades em dois patamares:
Competência pessoal
– Sentir-se feliz e satisfeito(a) consigo mesmo(a);
– Estar motivado todos os dias;
– Amar o que faz;
– Fazer sempre o melhor.
Competência profissional
– Escolher a profissão certa;
– Fazer cursos de aperfeiçoamento e aprimoramento;
– Atualizar-se;
– Aceitar desafios.

Mas não para por aí. A imagem é e sempre será seu cartão de visita. Portanto, quando for batalhar um emprego, deixe em casa as roupas coloridas, transparentes e decotadas, as saias justas, as bijuterias grandes e pesadas, aquele terninho pink, o sapato velho e desgastado.

Outro fator que está diretamente relacionado com sua imagem na hora da entrevista é a comunicação. De nada adianta estar muito bem vestido, andar corretamente, cumprimentar as pessoas adequadamente, se, na hora de expor suas ideias na entrevista, só ouve-se erros de concordância verbal, gírias, piadinhas de mau gosto, interrupções constantes para contar vantagem (achando que isso enriquecerá seu currículo…), etc.
Veja, passo-a-passo, como se comportar numa entrevista.

  • Antes da entrevista: planejamento

Uma boa noite de sono, a cabeça tranquila e muito otimismo tornam-se indispensáveis nesse dia “D”;
Sentir-se seguro(a) e acima de tudo apto(a) para responder perguntas e aceitar a idéia de ser analisado(a);
Chegue, pelo menos, com quinze minutos de antecedência. Um pequeno atraso, mesmo com justificativa, poderá ser desfavorável;

Crie uma atmosfera agradável à seu favor e uma torcida organizada dentro da empresa onde busca uma oportunidade de uma vaga, distribuindo sorriso e cumprimento a todos aqueles que lhe são gentis e prestativos: o segurança, a recepcionista, a copeira, a secretária… Eles saberão o porquê de sua ida até a empresa onde trabalham e poderão desejar-lhe “boa sorte” e, quem sabe, “boas vindas”;

Não interrogue a recepcionista ou qualquer funcionário com perguntas indiscretas do tipo: “Veio muita gente para esta vaga?” “Você sabe o motivo da saída do ex- funcionário?” “Qual é o salário que a empresa está pagando?” E por aí vai…
Não esqueça de passar no banheiro para dar uma checada na aparência. Olhe a roupa, maquiagem, etc;
Decore o nome do entrevistador, isso causará uma boa impressão. Trate-o de forma cerimoniosa e respeitosa;
Esteja preparado(a) psicologicamente e emocionalmente para responder perguntas e para ser analisado(a) durante a entrevista. Mantenha o equilíbrio.

  • Durante a entrevista: objetividade

O futuro candidato é escolhido 30 segundos após sua entrada na sala do entrevistador. Não se esqueça: a primeira impressão é a que fica. Então, veja as dicas:
Ao ser anunciada, entre tranquila, respire fundo e… deseje à você mesma boa sorte;
Se tiver alguma superstição, entre com o pé direito;
Não se desespere e vá entrando de vez na sala. Pare na porta, cumprimente e peça “licença” para entrar;
Mantenha sua expressão fisionômica leve e um sorriso sereno: o carisma é fundamental;

Não estenda a mão para o(a) entrevistador(a), espere que ele(a) tenha essa atitude;
Caso haja o cumprimento seguido de um aperto de mão, mantenha seus pertences no braço e na mão esquerda (se for canhota, na direita) para não causar embaraço e constrangimento na hora de dar a mão;

Não se esqueça da importância do aperto de mão, firme e natural;
Só sente se for convidada. Se não, permaneça em pé até receber o convite verbal para a atitude. Em seguida, agradeça;

Caso esteja com uma pasta, uma agenda, uma bolsa, uma maleta, ou qualquer outro pertence, não os coloque sobre a mesa do entrevistador. Mantenha-os sobre o colo, mas cuidado para não se sentir como se estivesse com um “escudo” de proteção. Havendo uma cadeira vazia, coloque sobre ela;

Por mais cansada, ansiosa ou tranquila que possa estar, não sente na cadeira de qualquer jeito. Mantenha uma boa postura e a parte superior do corpo projetada um pouco para frente;
Não cruze os braços, evite a impressão de insegurança ou defesa;
Olhe nos olhos do entrevistador. Isso passa segurança e confiança;
Use todos seus sentidos e não se distraia durante a entrevista;
Não minta e, no caso de respostas comprometedoras sobre o antigo trabalho ou a antiga empresa, prefira omitir;
Evite gesticular muito com as mãos;
Durante a conversa, evite gírias, trejeitos e mascar chicletes;

Tatuagens também ainda não são vistas com bons olhos por algumas empresas. Se você tiver uma num lugar visível, tente cobri-la ou disfarçá-la (pelo menos no dia da entrevista);

Caso o entrevistador lhe ofereça uma xícara de café ou chá, não recuse por educação nem aceite por obrigação. Dizer “obrigado(a)” só não basta. Dessa forma não dá para saber se você aceitou a tal café ou não. O certo é: “sim, obrigado(a)” ou “não, obrigado(a)”. Lembre-se: a xícara na mão direita e, o pires na mão esquerda. Os biscoitinhos poderão esfarelar sobre a sua roupa, portanto, é melhor recusar. Não seria elegante falar com a boca cheia nem ter que se levantar para sacudir as migalhas. Trata-se de uma entrevista e não de um chá informal;

Se o entrevistador não lhe oferecer água nem café, ou se você sentir necessidade de ir ao banheiro (por isso que é importante ir antes de entrar na sala), não interrompa a conversa. Deixe sua água, café ou banheiro para a hora que terminar a entrevista;

Se o entrevistador fumar e a fumaça te incomodar, o jeito é suportar até o término da entrevista. Se você tiver uma renite alérgica ou problema respiratório, mencione isso com delicadeza e bom senso. E, é claro, se você for fumante não acenda um cigarro durante a entrevista, deixe o cigarrinho para mais tarde;

Se o entrevistador atender algum telefonema, não fique encarando-o(a) enquanto ele(a) estiver falando ao telefone. Disfarce abrindo sua agenda ou olhe em direção à janela. Se o assunto for demorado ou muito pessoal, convém levantar-se da cadeira deixando o entrevistador à vontade. Cabe ao entrevistador evitar receber continuamente telefonemas durante a entrevista para não interromper ou dispersar os assuntos e interesses em pauta;
Fale somente o suficiente;
Tenha respostas objetivas, claras e diretas.

  • Cause uma boa impressão na entrevista

Toda entrevista é fundamentada em três partes que giram em torno do(a) entrevistado(a): vida familiar, social e profissional. A primeira impressão é a que fica. Você nunca terá uma segunda chance se não causar uma primeira boa impressão. Preste atenção nessas dicas.

  • A aparência:

Toda empresa deseja um funcionário que venda saúde e disposição. Tanto a aparência física, quanto a própria vestimenta terão enorme importância nesse “primeiro” contato. Convém, no dia da entrevista, colocar uma roupa discreta e harmoniosa. Evite roupas complicadas e coloridas, assim como os excessos de detalhes e bijuterias. Fique longe dos decotes, roupas justas, transparentes e ousadas.

Dê preferência a um conjunto de saia (a altura do joelho) e blazer, ou qualquer outra roupa que imponha discrição e seriedade.
Excesso de maquiagem e perfume são condenáveis assim como aparecer com a cara lavada. Use uma maquiagem que condiz com o clima, com a roupa e com a própria personalidade. O penteado deve ser discreto quanto toda a produção ou, se possível, presos.

  • A educação:

A maneira de entrar na sala, de cumprimentar, de se sentar, as atitudes, os gestos e movimentos, o tom de voz, a forma de se expressar… Tudo isso estará sendo avaliado atentamente junto com o seu grau de instrução e de cultura.
A simpatia:

O carisma deve ser expresso do começo ao fim da entrevista. O jeito de ser, a personalidade, a expressão fisionômica, a forma natural e ponderada dentro de certos limites. O sorriso e o bom humor, continuam sendo os segredos do sucesso. O carisma, a segurança e as afinidades expressas neste primeiro contato ajudarão na pontuação final.

  • Espera-se do candidato:

– Boa apresentação (a embalagem valoriza o produto);
– Desinibição: não sentir-se intimidada ou nervosa;
– Mas não leve ao pé da letra a frase “fique à vontade”;
– Determinação de ideais e perspectivas profissionais;
– Confiança pessoal e profissional;
– Competência, motivação, espiritualidade;
– Tenha ambição, mas moderada. Nunca vá com muita sede ao pote.

A ambição, quando muito transparente ou, como meta e objetivos, pode assustar.
Vale a pena lembrar que, ao final da entrevista, tudo será analisado e somado resultando na “pontuação” necessária para o candidato.

Por: Eduardo Sonntag

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta