Página Inicial Destino Ásia Singapura, uma cidade-estado que vai surpreender você

Singapura, uma cidade-estado que vai surpreender você

Singapura

Antes conhecido como Cingapura, hoje é Singapura (devido a unificação da grafia dos países que falam português), este ex-território da Malásia tem encantado até os mais despretensiosos turistas. Normalmente apenas uma parada rápida durante as viagens pela Ásia, Singapura hoje já se destaca como um ótimo destino turístico no continente.

Este país/cidade é, e pode ser definido sim como uma cidade planejada, mas não pelo lado ruim que este termo possa vir a remeter, pelo contrário, é um exemplo bem positivo de como colocar para funcionar um belo projeto.

Informações básicas antes de ir para Singapura
Não se preocupe, se você sabe falar inglês, não vai passar nenhuma dificuldade de se comunicar no país. Embora o idioma principal local seja o Malaio, você praticamente não precisará fazer nenhum esforço para entendê-los. A maioria da população fala inglês e vai usar este idioma para se comunicar com você.

Quando pensamos então nos destinos e atrações turísticas dentro do país, 100% de chances de você conseguir conversar com todos os atendentes. Taxistas, recepcionistas, garçons, vendedores, farmacêuticos, caixas, enfim, todos vão falar inglês com você.

Já o clima, para termos de comparação brasileira, você vai se sentir no norte do país. É tropical, quente e úmido. Não tem grande variação de temperatura durante o ano, tendo apenas períodos com mais ou menos chuvas, o que de modo geral não vai interferir em seus passeios. Ou seja, você poderá aproveitar bastante a cidade em qualquer época do ano.

Outro fator que facilita a vida do turista para que vá visitar Singapura é a não exigência de visto de viajantes que desejam ficar no máximo 30 dias (o que é mais do que o suficiente). As únicas exigências, que são comuns a diversos outros países da Ásia, é a necessidade de comprovar a vacinação contra a febre amarela e ter passaporte válido por, pelo menos, seis meses.

Tudo propício, só tem uma coisa que será complicado para você. O fuso horário entre Singapura e Brasil que é de nada mais, nada menos que 11 h. Isso mesmo, lá eles estão 11 h a frente das pessoas que vivem sob o horário de Brasília.

Chegando a Singapura

Apesar de ser conhecida por ter o melhor aeroporto do mundo, Singapura também carrega a fama de uma cidade bem organizada e (porém para alguns) cheia de regras. Para nós brasileiros pode parecer ruim ou até exagerado demais, mas acreditem, essas regras fazem toda a diferença para se ter uma cidade limpa, organizada e capaz de receber todos os seus visitantes da melhor forma possível.

Singapura

Então ao chegar ao país a primeira regra básica é justamente respeitar todas as outras regras. Você não pode atravessar a rua sem ser na faixa de pedestre ou no sinal vermelho, e nem comer e beber qualquer coisa em transporte público, em hipótese alguma deve jogar qualquer tipo de lixo no chão (inclusive goma de mascar, se é que você vai conseguir alguma por lá), também não pode alimentar pombos (e nem deveria) e nem consumir bebidas alcoólicas em locais públicos entre 22h30 e 7 h, dentre algumas outras coisas. As regras são levadas ao pé da letra, e mesmo quando você acha que não tem ninguém lhe fiscalizando, você estará sim sendo observado por alguma câmera colocada discretamente em algum lugar. Seja educado e respeite a casa dos outros!

Outra peculiaridade que você vai encontrar logo ao sair do aeroporto são os táxis. Não, eles não são diferentes, mas a cobrança sim. Sabe aquela história de bandeira 1 e bandeira 2 dos táxis brasileiros? Em Singapura o sistema de mudança tarifária é diferente. A famosa bandeirada (aquele valor que você já paga só de entrar no táxi) é que sofre modificação de valores de acordo com o horário, não há modificação na velocidade com que corre o taxímetro. Isso nos dá a sensação de pagar um preço mais justo.

E ao final de cada corrida o taxista também imprime para você um recibo com todos os valores discriminados do que você pagou e porquê pagou aquilo.

Como boa parte dos países da Europa, América do Norte, Oceania e Ásia, em Singapura as tarifas de ônibus também são cobradas de acordo com a distância percorrida. Lá, não por zona, mas sim por quilometragem. Há também diferença entre as tarifas de ônibus com ar ou sem ar condicionado. Além do ônibus, tem a opção de se deslocar pela cidade de metrô. E independente do meio de transporte escolhido por você, com certeza o serviço oferecido será de qualidade, porque eles trabalham para isso. Mas quando você desejar se locomover apenas pelo centro da cidade (conhecido como CBD), onde se localizam os principais pontos turísticos, a melhor escolha é fazer tudo caminhando, assim você evita perder tempo com o trânsito já que tudo fica relativamente próximo.

O que fazer em Singapura

Embora a cidade esteja repleta de prédios superaltos e modernos, e enormes shoppings grudados uns nos outros (há uma rua cheia deles, a Orchard Road), não é só a arquitetura de grandiosidade que lembra as grandes cidades que domina as atrações em Singapura. Pelo contrário, o próprio governo da cidade-estado investiu bastante para tornar a cidade conhecida justamente por um motivo oposto: uma cidade verde.

Gardens by the Bay

O Gardens by the Bay (também conhecido como Jardins Suspensos) é a melhor exemplificação do que Singapura é e pretende ser: grandiosa, ecológica e moderna. Nele estão 18 árvores enormes construídas com material ecológico e/ou autossustentável, sendo que 11 delas conseguem captar energia solar para auto alimentar o parque. O efeito que esta energia faz no parque no anoitecer é estarrecedor, você consegue enxergar e se encantar de diversos locais da cidade de onde se é capaz de enxergá-lo.

Mas como todo parque, as suas principais atrações funcionam enquanto o dia ainda está claro. São jardins com diversos tipos de plantas, flores e sementes, com direito a um pouco das histórias deles por todo o mundo. Há também uma área infantil que além de educação ecológica, disponibiliza para as crianças diversas atividades interativas e muitas brincadeiras refrescante em fontes de água. E para completar a paisagem inesquecível, um lago com esculturas de libélulas perfeito para se relaxar, sentar e bater um papo as suas margens. Tudo gratuitamente. No Gardens by the Bay você só paga para entrar nas estufas, que por sua vez, valem o ingresso pago. Uma é de flores e a outra lhe traz um clima de floresta.

Botanic Garden

Outro ponto turístico que leva este desejo de trazer mais espaços verdes para a cidade é o Botanic Garden, apontado por muitos visitantes como um dos mais bonitos no mundo. E mais uma vez, quase todo gratuito. A única atração paga no jardim botânico é a entrada no orquidário, devido aos custos que a estufa gera, porém a taxa é apenas de 5 dólares local.

Marina Bay Sands

Talvez o mais conhecido e divulgado ponto turístico de Singapura, o Marina Bay Sands é um suntuoso hotel de uma rede americana que foi um dos precursores da ideia de “piscina ao infinito”. São 57 andares e uma imensidão que realmente impressiona. Para vê-lo de perto, hoje se paga 23 dólares de Singapura somente para subir ao deck. Caso deseje desfrutar desta piscina que por si só é cartão-postal, você terá que se tornar um hóspede do local.

Além do hotel, ainda no mesmo complexo do grupo americano ainda existe um shopping center que tem um Casino e de onde partem pequenos passeios em gôndolas. Algo que, com certeza, você não imaginaria encontrar ao entrar nele.

Dois lugares que podem ser visitados e refletem um pouco a mistura dos povos que formam a cidade, são a Little India e a Chinatown. Ambas trazem um pouco da cultura de seus países para dentro de Singapura. Nesta área, não é difícil encontrar os vendedores e expositores conversando entre si em seus idiomas maternos. O que torna ainda mais interessante a visita lá.

Clarke Quay

Quando pensamos em passeios noturnos a melhor opção é o Clarke Quay. Uma área a céu aberto no centro, na beira do rio, repleta de bares, restaurantes e outras alternativas de diversão. Alguns bares oferecem música ao vivo, outros Dj, e tem aqueles que têm até apresentação de danças típicas. Para os mais corajosos, bem na entrada principal do espaço tem disponível um bungee jump inverso. Uma verdadeira aventura com direito a plateia todas as noites. Passeios de barco pela cidade também partem diariamente do Clarke Quay.Singapura

Outras atrações:

Sentosa

A ilha da diversão principalmente para as crianças. Aqui existem diversos parques, inclusive aquáticos e um da Universal Studio. Dá para chegar lá de bondinho apreciando a vista da cidade e da ilha de uma vez só.

Singapore Flyer

Quase às margens do rio, próxima ao Gardens by the Bay e oposta ao Marina Bay Sands, esta enorme roda gigante lhe permite ter uma das vistas mais lindas da cidade. Diz a lenda que cada volta nela dura 30 minutos devido a sua magnitude.

Singapore Zoo

Pode ser considerado um zoológico praticamente sem jaulas, sendo a segurança do visitante garantida através dos fossos que separam os animais. A noite eles disponibilizam um “night safari” que é imperdível.

Para admirar:

O teatro Esplanade possui um projeto arquitetônico que merece ser admirado, ele foi feito em forma da principal fruta local, o durian. Outro ponto que vale uma foto é o ArtScience Museum, que foi construído no formato de uma flor de Lótus. Além deles, tem também o símbolo do país, o leão Merlion.

O que você achou de Singapura? Já esteve lá também?  Então deixe suas dicas no espaço abaixo, e aproveite para compartilhar essa página nas suas redes sociais.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta