Página Inicial Vistos Imigração Como ter sucesso no processo de Imigração

Como ter sucesso no processo de Imigração

Este artigo visa explicar alguns detalhes que muitas vezes são esquecidos pelos que estão nesse processo de mudanças para o Canadá, e não somente durante o processo em si, mas também ao chegar aqui já com o seu visto em mãos.A criação deste tópico foi baseada em inúmeros questionamentos diários que recebo, como por exemplo, “Será que tem demanda para a minha área de Cerzidor de tapetes Persas de Seda de 1000 nós por polegada?”, e também por ver o quanto despreparados inúmeros candidatos à imigração estão. Vejam que não estou reclamando das perguntas, não é esse o caso. Só fico ainda abismado pelo fato do cidadão que pretende começar uma vida nova num outro país, nada saber sobre o tal país, sobre sua profissão por lá e por aí vai… é como querer entrar numa sala escura sabendo que existe um animal por lá mas sem saber se é uma barata ou um leão que não come faz um mês. Portanto vamos ao post, passo a passo.

O primeiro passo é muito simples: REALITY CHECK.

O que isso significa?!
Bem se leu a frase em Inglês e não entendeu, pare por aqui o seu processo de imigração porque não consegue ler o básico de Inglês. Não estou falando isso porque não gosto de você especificamente. Nem tem como ser isso já que não o conheço pessoalmente.

O que quero dizer é que devemos fazer uma avaliação pessoal E objetiva. Note a letra ‘E’ entre as duas palavras. Sei que sua mãe lhe acha lindo(a). Mas se prentende se mudar para algum outro país, deve olhar no espelho e se perguntar se é realmente lindo como ela diz. Alguns pontos que acho válidos comentar no quesito REALITY CHECK:

– O seu Inglês é realmente fluente como diz? Como teste recomendo algumas coisas simples como assistir um filme em Inglês sem legendas e caso tenha recursos financeiros, visite o país em questão por 2 semanas. Isso lhe dará uma idéia bem clara do que vai enfrentar com relação ao idioma ao chegar por aqui.

– É um profissional acima da média ou simplesmente mais um no mercado? Se para a sua vaga no Brasil existem 100 outras pessoas que podem assumir o seu cargo no dia seguinte, chances são que você é realmente mais um no mercado. Não vale a desculpa ‘mas vão levar meses para treiná-lo, para que conheça a empresa como eu’. Isso não conta. O que conta aqui é se realmente tem aquele algo mais, que o diferencia como profissional. Sabe aquelas sacadas que vira e mexe só nós temos, que deixam o seu chefe/gerente/diretor de queixo caído? É disso que estou falando.

– Tem um medo enorme de ficar desempregado? Aqui a coisa é muito simples. Se é daqueles que não tenta arrumar algo melhor porque tem um medo enorme que não irá conseguir algo tão bom como o seu emprego atual, suas chances já estão reduzidas. Não tem o perfil correto. Já vi profissionais excelentes ficarem fazendo a mesma coisa a vida inteira e serem explorados nos seus empregos por simplesmente não terem fé no próprio taco. Antes de qualquer coisa tem que acreditar em você mesmo e que pode superar qualquer adversidade (claro que estamos falando de adversidades que podemos de certo modo prever – como por exemplo demorar 3 meses para arrumar um emprego aqui). Mas esse ‘acreditar em você mesmo’ está totalmente ligado a fazer uma análise fria a seu respeito. Se é realmente o profissional que pensa que é. Simples. E como disse, ter fé no próprio taco é fundamental. Especialmente onde ninguém lhe conhece.

– Sabe exatamente o que vai encontrar pela frente no país alvo? Muitos nem sabem se o diploma deles, obtido no Brasil, vale aonde planejam ir. No caso do Canadá, todas as informações a respeito de tudo que é profissão estão disponíveis no site do Working in Canada. Como fazer para revalidar o diploma, se tem demanda da sua profissão, quanto se paga em média para tal ofício e por aí vai. A mesma coisa se aplica em relação à moradia, escolas, etc. Já pesquisou tudo isso?

– Tem um plano ‘B’ caso as coisas não aconteçam exatamente como o planejado? Por exemplo, se demorar seis meses para arrumar o primeiro emprego nas terras de lá, como vai se sustentar? Está disposto a trabalhar em qualquer coisa para se manter enquanto o tão sonhado emprego na sua área não aparece? A grande lição aqui é adaptabilidade. Muitos que vem não se ‘sujeitam’ a ir trabalhar como atendente no McDonalds ou Tim Hortons para se manter. Ficam se lamuriando que não conseguem emprego como Diretor de Logística Africana com Zimbabuanês fluente. Se não está disposto a tudo e não tem um plano B, C, etc, está fazendo a coisa errada. Não saia do Brasil. Simples.

– Começar do zero. A não ser que seja alguém de renome internacional, reconhecido no Brasil, na Europa ou na América do Norte, vai ter que começar sua vida do zero. Ninguém aqui lhe conhece. Não sabem se é bom ou ruim. E o fato de ter feito a Usina Açucareira de Quixeramobim ter economizado R$ 100,000 em papel higiênico o ano passado desde que implementou o uso de folhas de Bananeira, nada significa por aqui.
Primeiro que não temos Bananeiras. E nem sabemos onde Quixeramobim fica.
É fundamental que entenda que está efetivamente começando do zero por aqui. Se levou anos para virar supervisor no Brasil, porque acha que começará num país novo onde ninguém lhe conhece e onde com quase toda a certeza não fala o idioma como alguém que nasceu e cresceu aqui, como supervisor? Mais uma vez, REALITY CHECK.

A lista de coisas que poderia comentar é enorme e levaria horas, senão dias, para finalizar tal post. O resumo de tudo que escrevi é muito simples: faça a sua lição de casa e procure entender completamente todos os requisitos necessários para se mudar de país (no caso do Canadá esses são muito claros – não que concorde com o jeito que eles pregam nas famosas palestras do Consulado no Brasil; ainda as vejo como propaganda ENGANOSA sim – e estão explicados no site da imigração) e como as coisas funcionam do lado de lá ao chegar (se o seu diploma vale, se tem emprego na área, o custo de vida por lá, etc).
E é claro, faça uma análise fria de você mesmo! Se tem o perfil, as qualificações e os recursos necessários para imigrar.

Não vejam esse post como um balde de água fria; como algo que diz que só os super profissionais com super qualificações conseguem. Não.

Esse post é simplesmente uma parada no meio da corrida para descansar um momento, colocar a cabeça no lugar e recomeçar a corrida com o plano perfeito, que irá dar certo independentemente do que vai acontecer pela frente.

Crime perfeito pode não existir. Mas planejamento perfeito existe sim. Só cabe a você arregaçar as mangas e implementá-lo.

Fonte: TSFactory

COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. E meu caro,quando se esta fora tem seus precos,amigos e parentes que morrem e voce nunca mais desfrutara deles…sonhos que ficaram para traz,sonhos que tentamos concretizar a longa distancia.amigos que retiram suas mascaras ao conhecer o Dollar e o principal que e o medo de voltar.
    “O dificil nao e sair do Brasil,o dificil e voltar”.
    Que Deus ilumine voces nas suas decizoes pois eu estou em USA e ja levo 4 anos tentando regressar ao Brasil e nao da,se aqui esta ruim,imagino o Brasil.

Deixe uma resposta