Página Inicial Outros Notícias ONU condena lançamento de foguete da Coreia do Norte

ONU condena lançamento de foguete da Coreia do Norte

Um esboço de declaração do Conselho de Segurança da ONU condena o lançamento de um foguete de longo alcance pela Coreia do Norte e afirma que o país transgrediu uma resolução prévia do conselho que proibiu que os norte-coreanos realizassem testes nucleares e de mísseis balísticos.
O esboço da declaração, resultado de acordo entre os cinco membros do Conselho de Segurança e o Japão, foi entregue neste sábado (11) aos outros nove membros do conselho. O texto também pede ao comitê de sanções da ONU que tome medidas para que sejam cumpridas as sanções já existentes contra a Coreia do Norte.

“O Conselho de Segurança condena o lançamento pela República Popular Democrática da Coreia em 5 de abril por ser uma transgressão da resolução 1718 do Conselho de Segurança”, diz o esboço da declaração. A Resolução 1718, aprovada pouco depois de a Coreia do Norte realizar um teste nuclear em outubro de 2006, proíbe que o país lance mísseis balísticos ou realize outros testes nucleares.

Votação

Todos os 15 membros do Conselho de Segurança se reuniram a portas fechadas para discutir o texto na tarde deste sábado. Eles devem votar o texto na segunda-feira à tarde, disse aos repórteres, depois da reunião, o embaixador do México, Claude Heller, atual presidente do conselho.

Já que houve acordo sobre a declaração entre EUA, China, Japão, Grã-Bretanha, França e Rússia, sua adoção na segunda-feira por todos os membros está praticamente assegurada, disseram diplomatas do conselho. “Achamos que este texto envia uma clara mensagem”, disse aos repórteres a embaixadora dos EUA, Susan Rice.

O Comitê de Sanções da ONU para a Coréia do Norte não se reúne há dois anos e não designou nenhuma empresa norte-coreana para ser adicionada à lista negra da ONU, disseram diplomatas. Como resultado disso, as sanções não foram colocadas em prática, afirmaram.

Efeitos

A declaração pede ao comitê que “faça com que suas tarefas tenham efeito” e designe “entidades e mercadorias” que serão objeto de sanções. Diz ainda que se o comitê não fizer isso até o fim do mês, o conselho fará uma lista própria.
Embora a declaração não afirme que a Coreia do Norte está “violando” a resolução 1718, diplomatas disseram que a referência à transgressão da resolução –termo que foi aceito pela China– tem o mesmo significado legal.

“É um texto que envia, como pretendemos, uma clara mensagem à Coreia do Norte, ao expressar nosso desagrado com o que aconteceu”, disse o embaixador francês, Jean-Maurice Ripert.

O Japão pressionava por uma resolução que declarasse que a Coreia do Norte está violando a resolução 1718, mas a Rússia e a China, membros permanentes do conselho –e, portanto, detentores do direito de veto– se opunham a isso.
Eles não foram convencidos de que o lançamento do foguete fosse uma violação da resolução. A Coreia do Norte diz que o foguete foi lançado para colocar um satélite em órbita.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. não estava ciente de que um simples foguete fosse significado de tanto perigo..
    porem apos ver algumas reportagens acho que devem entrar em acordo com a coreia do norte não so por segurança mas para evitar uma possivel guerra que possa abalar o mundo.

Deixe uma resposta