Página Inicial Dicas Qual espírito move alguém a sair do país?

Qual espírito move alguém a sair do país?

Lembro-me que na época da escola estudava os poemas clássicos. Um dos mais famosos, sem dúvida, é a Canção do Exílio, de Gonçalves Dias: “Minha terra tem palmeiras, onde canta o sabiá. As aves que aqui gorjeiam, não gorjeiam como lá…” O que mais me intrigava era a palavra exílio. “Vó, o que é exílio?”, perguntei. “É quando alguém é obrigado a deixar a sua terra natal”, ela respondeu. Cresci achando que Gonçalves Dias tinha sido expulso do Brasil, até vir, a saber, que ele fora em busca de desenvolvimento pessoal, estudar direito na Universidade de Coimbra.

Busca de desenvolvimento – isto é o que move a esmagadora maioria de pessoas que imigram. E você, brasileiro? O que move você? Na minha experiência com imigrantes, sejam eles brasileiros fora do país ou estrangeiros no Brasil, o maior motivo é de desenvolvimento pessoal: seja por questões financeiras ou para estudos. O segundo maior motivo é de relacionamento: brasileiro, até pela sua própria formação étnica, relaciona-se muito com estrangeiros, e sai do país para casar-se com estrangeiros.

E aí? O que acontece depois? A saudade é lógico. Os negros que eram obrigados a deixar sua terra para vir trabalhar na América, escravos, sofriam até de uma doença que eles chamavam de banzo: uma profunda dor causada pela separação do que eles mais tinham de valor, que era a terra, as pessoas, a cultura. Em maior ou menor grau, todos sofrem do banzo. Gonçalves Dias demonstra isso. O que importa ao imigrante é lembrar-se que o que moveu ele foi o crescimento pessoal, e não a fuga dos problemas, e nem confundir isso com a dor da separação, que é natural. Porque se isso ocorre, é muito comum as pessoas colocarem a culpa dos problemas, genericamente, no país, o que não é verdade. Problemas existem para todos, em qualquer país.

Se alguém sai da sua região e vai pra outra, é em busca de oportunidades. Uma pessoa só consegue crescer financeiramente e emocionalmente quando trabalha em busca de satisfação pessoal, e não fugindo dos problemas. Este é o espírito que transformou Valentim Diniz, que em 1929 abriu uma mercearia, no fundador do maior grupo varejista do Brasil, o grupo Pão de Açúcar. Busca de oportunidades: este é o espírito que você, imigrante brasileiro, deve ter ao sair do país. Concentre-se naquilo que você quer, e não no que irá deixar ou perder. Agarre esta oportunidade com unhas e dentes. Você só pode ganhar: não há outra escolha!

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Seu texto me ajudou a nao pensar no que vou deixar, as vezes fico pensando sobre o novo ciclo de amizades que irei ter ao deixar o Brasil para viver na Italia e isso me conforta, na verdade ainda tenho um pouco de medo, mas vou agarrar com unhas e dentes a oportunidade, valeu.

  2. Olá Patricia!

    É isso aí, há coisas que por momentos nos faz parar e pensar, mas imagina tudo o que você irá peder, em não se dá a chance de crescer como pessoa, emfim não há nada que pagará o quanto crescerá com o seu primeiro passo, Tenho certeza que você ganhará um bagagem cultural de suma importância a qual lhe tornará uma pessoa cada vez melhor.

    Corre atrás pois nem todos tem essa oportunidade que tens neste momento.
    Todos nós agradeçemos, por saber que estamos ajudando muitas pessoas…

    Atenciosamente
    Cidylan Silva

  3. Honestamente não saí do Brasil para fazer dinheiro e nem para casar, mas simplesmente para descobrir novos modos de viver a vida e novas formas de pensar. Admito que o excesso de violência e a ausência de um Estado que protege o cidadão influíram muito. Até então, quando morava no Brasil, eu era anarquista: achava inútil pagar impostos para um Governo e depois ter que pagar tudo de novo particular: saúde, segurança, educação… Hoje acho bom estar amparada pelo Estado.

  4. Oi Patricia,
    Adorei seu texto me tocou profundo !!! Estou hà 3 meses na França com garantia de mais 3 pelos estudos, aqui encontrei bons amigos, boas condiçoes de vida e uma boa possibilidade de continuar um trabalho aqui. Até o momento estou em duvida se devo ou nao voltar ao Brasil (SP), seu texto me fez refletir mais um pouco, como vc diz, sao poucos os que tem esta oportunidade.
    Um grande abraço.
    Daniela

  5. oi! sai do brasil pra casar com um argentino,ja faz 15 anos.só pude voltar lá 1 vez.um conselho:se saen do brasil esten seguros q podem voltar,se nao vao sofrer de banzo como eu. ano traz ano nao posso ir a brasil porq o dinheiro nunca alcanza…beijos a todos forte abraços.

Deixe uma resposta