Página Inicial Dicas Você sabe o que é Couch Surfing?

Você sabe o que é Couch Surfing?

Achei que já era tempo de falar de uma das melhores ferramentas de viagem que existe hoje no mercado, e o melhor de tudo: é grátis!

Além do mais, alguns leitores e amigos me perguntam como e onde posso praticar meu inglês.  As comunidades mais ativas do Couch Surfing, ou CS para os íntimos, têm reuniões semanais para os CouchSurfers que estão na área. É uma oportunidade perfeita para conhecer gente nova, praticar seu inglês fazer contatos pelo mundo, e tomar alguma coisa com muita gente legal e cabeça aberta. 

Quando queremos abrir asas e voar, muitas vezes o problema maior é responder para onde e como. No CS você tem a oportunidade de encontrar a resposta para estas duas perguntas fundamentais na vida de qualquer nômade como nós. Já são mais de 3 milhões de membros ao redor do planeta esperando para receber pessoas de todas as raças e credos.

Uma das coisas que mais me chama a atenção no CS é a prioridade pela segurança dos Couch Surfers. Não existe a preocupação sobre parar na casa de um psicopata ou coisa parecida! Antes de fazer um “Couch request” você pode checar a avaliação do seu anfitrião, informações pessoais e tudo mais que você queria saber sobre uma pessoa.

Sou parte do Couch Surfing  desde o final de 2009, o que me ajudou e  muito nestas viagens loucas que faço por aí! No Couch Surfing você pode encontrar um lugar para ficar, companhia, oportunidade de conhecer a cultura local a fundo. A experiência mais legal que tive foi em Bergen, na Noruega. Lá tive a oportunidade de encontrar outras pessoas do CS na mesma situação que eu – trabalho de verão –  e pegar dicas de como lidar com a papelada, ou dicas de mais lugares para trabalhar, e visitar. Fora que é sempre bom ter um grupo de pessoas para tomar um café depois de um longo dia de trabalho e a cada dia descobrir novos lugares para visitar com seus novos amigos.

Como membro seu dever é ter a mente aberta para todos os tipos de culturas e respeitar o próximo acima de tudo. A missão do projeto de acordo com o site é: “apreciar diversidade espalha tolerância e cria uma comunidade global”. Estes dias estava conversando com Eduardo Canastra, Embaixador do Couchsurfing no Rio de Janeiro “e apaixonado pelo projeto”. Bati um papo com ele e acho que vale a pena para os nossos leitores darem uma olhada no projeto do “Couch” ou CS, como é chamado entre seus membros:

– Qual é a essência do Couch Surfing?

Ter um amigo local! É você poder viajar e saber que vai ter alguém local para tomar uma cerveja, conversar e talvez, até te hospedar.

– Há quanto tempo você é parte do CS e de que forma você colabora com o projeto? 

Desde 2009 estou ativo no CS. Hoje sou embaixador voluntário no Rio de Janeiro. A 3a comunidade mais ativa do mundo.

– Quantas pessoas mais ou menos você já recebeu na sua casa e quantas vezes você “surfou” por aí? Mais ou menos? Recebi já umas 80 pessoas na minha casa e já surfei uns 10 sofás pelo mundo.

– Quais são os pontos positivos de surfar no couch de alguém? 

É a troca de cultura. Você passa a viver a rotina do outro, segue as dicas dele e não entra em furada. É muito bom entrar na outra cultura pela porta da frente, pelas mãos de alguém que conhece o local.

– Quais são as comunidades do CS mais ativas hoje no Brasil? 

No Brasil: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Curitiba e Salvador.

No mundo: Buenos Aires, Berlim, Rio de Janeiro, Londres e Paris.

– E para quem quer entrar na onda, como é que faz?

Basta acessar www.couchsurfing.com e criar um perfil.

Fica a dica! E quando criar seu perfil por lá, pode me adicionar a sua lista de contatos ou me mandar uma mensagem! Tenha certeza que tem um  “couch” e companhia para “surfar” no Oriente Médio!

COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Não queria…mas, tenho que discordar de vocês em alguns pontos. Esses pensamentos representam sim a ideologia do CS, contudo, vi e vejo pessoas que:

    1) usam o CS para procurar parceiros (as), seja como namoro ou como caso eventual- uma coisa é vc sair com alguém e daí bater o clima…outra é usar o site já pensando nisto;

    2) só querem saber de festas e mais festas e que algumas até se trancam em panelinhas;

    3) hospedam ou surfam somente com pessoas que são de fora do Brasil (para que assim aprimorem o segundo idioma) e que com isto, se esquecem que o importante é ajudar quem chega e fazer a troca cultural, não importa de qual parte do mundo ou mesmo do Brasil a pessoa venha;

    4) etc.

    E digo mais, não é porque a pessoa é embaixadora(a) ou que possui excelentes referências que ela seja confiável. Não vou citar nomes, mas recentemente conheci um embaixador que possui 295 amigos (no mundo todo), destes 210 deixaram boas referências e somente duas postaram algo neutro, nenhuma negativa. Contudo, investigando melhor descobri que tudo que esse indivíduo diz é uma verdadeira farsa. Reparei também, que não só porque ele mente bem, mas também porque muita gente quer porque quer ou “puxar o saco de alguém importante” ou porque quer referências a todo custo e daí posta algo “bonitinho”. Uma amiga minha também já teve problemas com um embaixador, no caso dela a situação foi bem mais grave, e todo mundo até então jurava que ele era um santo.

    Não digo que o CS não é bom, é sim. Não falo também que todo mundo aqui é ruim, ao contrário, conheço muita gente bacana, contudo conheci alguns “lobos em pele de cordeiro”. A ideia do CS é ótima. Eu mesmo adoro usar o CS e o recomendo bastante. Contudo, recomendo também que tenham cuidado, atenção, “nem tudo são flores”.

  2. Olá Ellen!

    Obrigada pelo seu comentário e pela sua dica de segurança no CS.

    Seus pontos são válidos, porém nestes dois anos como parte do CS e viajando o mundo, pessoalmente, nunca tive problemas, graças a Deus. Hoje eu e meu esposo estamos disponíveis para um café aos viajantes do CS e só não podemos hospedar porque não temos ainda uma estrutura decente para receber as pessoas conforme elas merecem.

    Mesmo vivendo em Israel – um país como uma história problemática suficiente – conheci pelo CS tanto Palestinos quanto Israelenses, e Arabes cristãos e ainda sim nunca tive problema algum. Escrevi do ponto de vista da minha experiência pessoal no CS. Mas como você disse é importante saber onde se pisa e com que se anda.

    Em relação as festas, é a escolha de cada um. Eu e meu esposo preferimos, por exemplo, viagens ou atividades culturais que muitos grupos no CS oferecem. Aqui em Israel/Palestina por exemplo, a maioria das atividades são para incentivar a coexistência entre os dois povos em guerra a tanto anos.

    Não descordo de você, há de se analisar cada pessoa, referências, fotos, o que elas escrevem, etc.

    Mais uma vez obrigada pelo Feedback!

  3. Letícia,

    Achei bem interessante a sua reportagem, parabéns! Acho bacana divulgar informações de sites bacanas como o CS. Fico feliz que você tenha encontrado grupos muito interessantes no CS, eu também encontrei alguns, inclusive em um deles a turma se encontra para estudar algum idioma (inglês, português, espanhol etc.) de uma forma bem divertida.

    Aproveito para incrementar informando que quem quer aprender idiomas sem sair de casa pode também usar o Livemocha.com ou o Busuu ou o Italk, os três são interessantes e também gratuitos. Lembrando que também, que assim como o CS, é bom ficar atento, mesmo o Livemocha que é o mais conhecido entre os 3 já vi pessoas aproveitadoras. Mas, é claro, que também nem tudo são lobos, não é mesmo? Por meio do Livemocha eu consegui aprender italiano em poucos meses, sozinha em casa e estou fazendo o mesmo agora com o francês.

    Bem, mais uma vez grata pelo espaço e parabéns mesmo pela reportagem 😉

    Abraços,

    Ellen

Deixe uma resposta