Página Inicial Dicas Seguro Viagem

Seguro Viagem

Previna-se! Faça o seguro viagem para não ter preocupações com despesas médicas.

O seguro saúde é um dos pré-requisitos mais importantes ao fazer uma viagem para estudos, lazer ou negócios para o exterior. A adesão a um plano de assistência de saúde é extremamente aconselhável  para cobrir as despesas de viagens que durem desde cinco dias a um ano e meio.

Atualmente, para ingressar em vários países, é obrigatório a apresentação de um plano de assistência médica antes da entrada no respectivo país de destino. Na Europa, por exemplo, a partir da criação do Tratado de Schengen, do qual a grande maioria dos países do oeste europeu fazem parte, é obrigatório que o viajante tenha um seguro com abrangência durante o período de sua estada no respectivo país, desde que esse período seja igual ou superior a 3 meses. Os seguintes países assinaram o tratado Schengen: Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Finlândia, França, Grécia, Islândia, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Noruega, Áustria, Portugal, Espanha e Suécia.

Os tipos de cobertura de seguro e os valores dos mesmo podem variar de acordo com a empresa e a modalidade do seguro escolhida. De uma forma geral os benefícios de um seguro viagem para o exterior são:

  • assistência médica em caso de enfermidade ou acidente;
  • cobertura de gastos com medicamentos e serviços odontológicos;
  • adiantamento de fundos para fiança em caso de acidentes;
  • seguro de acidentes pessoais;
  • despesas de hotel por convalescença;
  • repatriação funerária;
  • traslado sanitário;
  • traslado de um familiar e acompanhamento de menor;
  • assistência legal em caso de acidentes;
  • despesas por atraso ou cancelamento de voo;
  • indenização complementar por perda de bagagem;
  • serviços de identificação e localização de bagagens;
  • compensação por demora na localização de bagagem;
  • assistência em caso de perda ou roubo de documentos ou cartões de crédito; e
  • garantia de viagem de regresso e outros serviços.

É muito importante que esteja resguardado para possíveis imprevistos de saúde, acidentes ou enfermidade no país de destino, principalmente porque uma simples consulta ou uma internação quando necessário podem gerar grandes despesas, sendo que em muitos casos a fatura do hospital tem que ser paga antes de seu regresso, portanto, NÃO CORRA RISCOS.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta