Página Inicial Dicas Medicamentos, informações de transporte no avião

Medicamentos, informações de transporte no avião

Medicamentos a serem tomados regularmente

Devido a ter de se adaptar a uma altura diferente do dia, poderão surgir algumas perturbações na posologia a que está habituado. Se você tem de tomar medicação com intervalos regulares, recomendamos-lhe que consulte o seu médico antes de iniciar um voo que atravesse vários fusos horários.

Insulina

Vez que a quantidade de insulina a ser injetada está em correlação com o ritmo das refeições, a componente horária desempenha neste caso um papel preponderante. Assim, reunimos alguns conselhos bastante úteis para pessoas que sofrem de diabetes.

A pílula contraceptiva

A exatidão no que toca a métodos contraceptivos é melhor alcançada se tomar uma pílula extra se viajar num voo com direção a Oeste e que prolongue o seu dia no mínimo em seis horas. Recomendamos-lhe que consulte o seu médico acerca deste tema antes de iniciar a viagem.

Medicamentos a transportar na bagagem de mão

Os seus medicamentos devem estar acondicionados em caixas à prova de choques e deverá se possível distribuir os medicamentos que lhe são essenciais por vários volumes da sua bagagem de mão. É recomendável transportar na sua bagagem de mão o equivalente a uma vez e meia a duas vezes a quantidade normal de medicamentos que prevê utilizar durante a duração esperada do voo. Em casos excepcionais, os voos podem sofrem desvios de rota ou a sua partida pode ser atrasada por muito tempo – mesmo que já se encontre sentado no interior do avião.

Passar pela alfândega com medicamentos

Se for transportar consigo medicamentos ou agulhas de injeção na sua bagagem de mão será aconselhável estar acompanhado de uma declaração médica que certifique tratar-se de material médico para uso pessoal.

Perda de medicamentos

Para acautelar a eventualidade de perda de medicamentos durante a viagem ou no país de destino, deverá pedir ao seu médico que lhe forneça uma lista com o seu grupo sanguíneo e outros dados relevantes acerca da sua história clínica, assim como a dosagem de medicamentos prescritos e as suas designações genéricas (designação não protegida por leis de proteção de patentes, nome internacionalmente reconhecido do medicamento). Deverá também ter consigo o documento que lhe permite receber tratamento ou adquirir medicamentos num país estrangeiro. Esta informação poder-lhe-á ser fornecida pelo seu médico ou pela sua seguradora.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta