Página Inicial Destino Américas Concurso Público no Canadá: parte 2

Concurso Público no Canadá: parte 2

A notícia da grande abertura de vagas de emprego no Canadá, mostrado pelo Canadá Brasileiro em 20 de outubro de 2010 (clique aqui para ler a matéria), vem reforçar a necessidade da busca de profissionais aptos a entrar no mercado e trabalhar legalmente no país. Como bem relatado na matéria, serão mais de 300.000 vagas em sete anos distribuídos pelo setor privado e também no setor público. Isso também significa que o Canadá vai continuar recebendo famílias do mundo todo através processo de imigração.

Diante do enorme interesse dos leitores pelo assunto e também devido aos inúmeros pedidos, vou tentar detalhar mais sobre como vir a ser um funcionário do governo federal canadense. Há basicamente duas formas de você conseguir um cargo público no Canadá: a primeira e mais rápida é através da Universidade. A segunda é através de concurso público.

Pela Universidade:

Muitas Universidades têm convênios com as empresas e vários programas para auxiliar o estudante na busca do emprego. No governo não é diferente. Para ser aceito e fazer parte do programa, o universitário tem que ter boas notas e excelente referência para conseguir um estágio. Geralmente esse estágio se dá durante as férias do estudante (meados de julho a começo de setembro). Depois de formado a Universidade faz um pedido oficial ao governo, através do programa, para o estágio final. É certo que o estágio final se caracteriza pelo fato do estudante já ser considerado funcionário público, inclusive recebendo salário e com direito aos benefícios. Na maioria das vezes o estudante passa por três ou quatro departamentos diferentes e exercendo funções distintas por um período de um ano. Obviamente ele estará estagiando e trabalhando na sua área de estudo justamente para poder adquirir experiência. Após o estágio final, cabe ao estudante escolher o departamento que queira se integrar.

Pelo concurso público:

Na grande maioria das vezes o concurso público no Canadá é dividido em quatro etapas. São elas: aplicação à vaga, prova, entrevista e referencia.

Aplicação: no Brasil o candidato se inscreve para a prova do concurso público. Já no Canadá o interessado se inscreve a posição em questão. A aplicação do candidato deve ser feita on-line diretamente pelo web site do governo federal. Na aplicação à vaga o candidato deve colocar a sua carta de introdução (Cover Letter), o seu currículo (Resume) e ainda responder um questionário que pode ser longo ou curto, dissertativo ou com questões de múltipla escolha. A fórmula varia de vaga a vaga. As perguntas contidas no questionário vão ser referentes as habilidades e experiências do candidato. As vagas ficam disponíveis no web site por um período de dois dias a uma semana. Ou seja, o interessado deve ficar sempre atento para não perder o período de aplicação. As respostas do questionário devem ser bem elaboradas, pois o simples envio da aplicação não garante que o candidato terá a oportunidade de fazer a prova, sendo assim, eliminado.

Prova: após o envio da candidatura uma comissão irá analisar todas as aplicações e convidar alguns interessados às provas que, geralmente, não são formuladas pelo departamento ou ministério e sim por um órgão específico para a formulação das provas. Esse órgão faz parte do governo federal. Existem dois tipos de provas: as gerais e as específicas. Para cargos muitos disputados como os administrativos, por exemplo, usa-se a prova geral, enquanto as provas específicas são utilizadas para as vagas que se exige maior qualificação. As provas específicas são bem formuladas e testa o conhecimento do candidato, já as provas gerais têm o objetivo unicamente eliminatório e o tempo de fazê-las é, na maioria das vezes, insuficiente. Dependendo do número de candidatos mais de uma prova é necessário. Quanto maior a nota mais chance o candidato terá de passar para a próxima etapa, a entrevista.

Entrevista: a entrevista é completamente diferente das feitas no setor privado. Na chegada, o candidato recebe as perguntas que serão feitas e tem, normalmente, 15 minutos para fazer anotações e preparar as respostas. Diferentemente de uma entrevista numa empresa privada, no governo não existe nenhuma interação entre entrevistador e entrevistado, assim como não existe “olho no olho”. Existem no mínimo de três entrevistadores que anotam tudo que é dito pelo candidato. Na verdade o que eles procuram (e anotam) são frases e palavras chave. A entrevista dura em média 45 minutos. O candidato não deve ser sucinto e quanto maiores detalhes as respostas tiverem, maiores serão as chances de sucesso na entrevista.

Referencia: aos que conseguiram passar pela aplicação e seleção, prova e entrevista, duas ou três referencias serão requeridas. O órgão responsável pelo concurso envia um questionário para as pessoas indicadas que tem, em média, uma semana para preparar as respostas e mandá-las de volta. O contato se dá geralmente por e-mail, porém o telefone, menos usado, também pode ser outra forma.

É importante mencionar que cada etapa dura, em geral, uns dois meses e todo o processo de seleção dura em média de 8 a 12 meses. Após todo o processo de seleção os felizardos são informados do final do concurso e que os mesmos estão posicionados numa lista. Cabe ao departamento escolher os selecionados pela lista e fazer a oferta pela posição. Há ainda um detalhe: a lista de candidatos não é divulgada.

Há também de se constatar que a aplicação a um cargo público é gratuita. O candidato não paga absolutamente nada em qualquer etapa do concurso.

Como mencionado na primeira matéria (Concurso Público no Canadá), o interesse pelo setor público é basicamente o mesmo: garantia de emprego, plano de carreira e um bom benefício são alguns exemplos. Os salários variam muito e são estabelecidos por nível e categoria não havendo espaço para negociações salariais por parte do funcionário. Eles vão de 40 mil a 120 mil por ano.

Existem algumas publicações com vários exemplos práticos das provas. Cabe o candidato estudar e praticar bastante para estar preparado para as provas.

Aos que se interessam pelo serviço público, boa sorte.

COMPARTILHAR

17 COMENTÁRIOS

  1. Ola Rodrigo,

    Excelente matéria! Mas ainda assim me ficaram algumas dúvidas. Quanto ao imposto, ouvi dizer que ele é bem alto e aboncanha boa parte do salário, voce sabe dizer de quanto? Em países como a Irlanda parece que chegam a 40%. E uma coisa, é preciso saber francês pra concorrer a essas vagas, ou só o inglês é suficiente?

  2. Oi Rodrigo,

    Acho que os seus leitores estão com a faca e o queijo na mão. E é queijo de Minas.
    Sim, realmente a sua matéria vai ao encontro daquelas pessoas que desejam realmente imigrar aí para o Canadá. Os detalhes dispensam comentários.
    Parabéns e continue emprestando os seus ilimitados conhecimentos aos que necessitam. Isso é uma disposição de quem quer ajudar ao próximo.

    • Olá Marcelo,
      Obrigado pelo apoio.
      O objetivo é realmente ajudar os que pretendem ingressar no governo passando um pouco do meu conhecimento e experiência.
      Continue acompanhando o Canada Brasileiro.
      Um abraço.

      • Rodrigo
        Eu sou Brasileira e sou estudante de engenharia civil, estou no meu 3 ano de faculdade. Tenho muito interesse em fazer um intercambio para a regiao do Quebec no Canadá. Você poderia me dar alguma dica de como obter o visto, e se depois de permanecer lá como estudante poderei obter o visto permanente. Estou me preparando tb com as aulas de frances e gostaria de saber se o mercado de trabalho no Canadá é aberto para os profissionais estrangeiros formados como por exemplo eu serei formada em Ehgenharia. E por fim gostaria de saber se você possui conhecimento de bolsas oferecidas para estudantes.
        obrigado
        Giovanna Luisa

        • Oi Giovanna,
          Com relacao ao visto a melhor dica seria visitar o site do Consulado Geral do Canada em SP.
          Tenho um amigo Arquiteto e ele tem boas dicas para quem e’ de engenharia civil. Veja no blog:
          http://boraprocanada.blogspot.com/
          O ultimo post foi bem interessante sobre a profissao e certamente algumas dicas vc pode aproveitar.
          Boa sorte,
          Um abraco.

          • Eles precisam de engenheiros? Eu sou estudante ainda, de engenharia de produção, também me interesso por engenharia de automação e de computação/área de TI.
            Gostaria de saber se um profissional dentro destas áreas mencionadas tem uma boa chance de construir carreira sólida no Canadá. Aprendi inglês sozinho e tenho muita vontade de sair do Brasil. Amo os Estados Unidos e acredito que irei gostar muito do Canadá.

            Obrigado a quem contribuir, estou esperando por minha saída a vida toda.

  3. Sou funcionário público no governo federal canadense em Ottawa há vários anos e tenho alguma experiência na área de concursos públicos federais. Achei o artigo muito bom, cobre alguns pontos importantes que diferem bastante do sistema brasileiro. Outras coisas que vale a pena salientar:

    – É realmente difícil para o novo imigrante obter uma vaga no serviço público nos primeiros anos. Residentes permanentes (esse é o status do imigrante legal no Canadá) podem participar, mas a preferência é dada a cidadãos canadenses.

    – Outro ponto que às vezes choca o imigrante é que o Inglês que ele aprendeu no Brasil (mesmo a nível avançado) nem sempre é bom o suficiente para todos os tipos de emprego por aqui. Às vezes é necessário aprimorá-lo, já que fluência oral e escrita são sempre requisitos importantes nos concursos públicos. Isso vale também para o Francês, se for o caso.

    – Candidatos devem prestar sempre muita atenção aos “critérios de mérito” do cargo (ou “Statement of Merit Criteria” em Inglês, abreviado para SOMC) que sempre acompanham o poster. Para ser selecionado é preciso que o candidato demonstre possuir TODAS as qualificações essenciais (Essential Qualifications). Em geral as categorias de Educação e Experiência são sempre avaliadas através do currículo, “cover letter” e formulário de aplicação se houver.

    – Como o Rodrigo escreveu, as respostas devem ser bem elaboradas. Uma sugestão é que para cada um dos critérios de EXPERIÊNCIA (de 3 a 10 em geral), tanto os essenciais como os adicionais (“assets”), o candidato escreva um parágrafo explicando detalhadamente como ela obteve essa experiência (quando, onde, como, etc.). Não é suficiente simplesmente anexar um currículo genérico na expectativa que o comitê de seleção irá examiná-lo em detalhe. Às vezes o comitê não são mais do que dois gerentes que devem avaliar duas ou três centenas de candidatos – não há tempo para validar detalhes de um candidato que submeteu um aplicação fraca e ela é eliminada.

    – Critérios de conhecimento, habilidades, etc. em geral são avaliados através de provas, entrevistas ou referências, então não é preciso tentar demonstrá-los no processo de aplicação (a idéia é que seria impossível avaliar conhecimento, etc. através do currículo, por exemplo).

    – Concursos para cargos “entry level” (como se diz isso em Português? nível baixo não soa bem) muitas vezes são feitos através de “inventários” (como https://psjobs-emploisfp.psc-cfp.gc.ca/psrs-srfp/applicant/page1800?poster=86104) e há dezenas de critérios de experiência no poster. Nesse caso o objetivo é fazer uma triagem do tipo de experiência que cada candidato tem – não é necessário possuir todas as qualificações (na verdade seria impossível). Com base na triagem os candidatos ficam disponíveis para avaliações posteriores dependendo da necessidade de cada cargo.

    – Quanto à entrevista eu discordo um pouco do que o Ricardo escreveu. As perguntas são as mesmas para todos os candidatos, e os entrevistadores anotam bastante, isso é verdade. E as perguntas sempre remetem a algum critério do SOMC – não é permitido avaliar um candidato segundo algum critério que não tenha sido estabelecido previamente. A entrevista é de fato um evento formal (e também o é na iniciativa privada), mas não concordo que não haja interação entre o entrevistado e entrevistador ou que o “olho no olho” não aconteça (pelo menos na minha experiência – sei que para um candidato é um momento estressante e procuro sempre uma forma de amenizar a tensão).

    Espero não haver desencorajado algum possível candidato com tantos detalhes. O processo é infelizmente lento e complicado, mas em geral é justo e funciona bem. Imigrantes são muito bem-vindos no serviço público federal canadense e têm boas oportunidades de avanço na carreira profissional.

    • Prezado Antonio,

      Estou me preparando para iniciar o processo de imigração para o Canadá, irei fazer um curso de francês em Montreal e quando voltar irei dar início ao processo. Um dos meus planos é me preparar para a carreira do serviço público. Sempre pensei em Ottawa, até por ser a capital, mas começo a ver também Montreal. Gostaria de saber sua opinião quanto a dois pontos: 1) O processo descrito é o mesmo para todo o canadá, incluindo Quebec? 2) É uma opção real, mesmo para uma pessoa que a 10 anos só trabalhou em empresas privadas aqui no Brasil. Obrigado
      Lucas

    • Muito bem Antonio. Desencorajar jamais, porem a pessoa que ler seu post, vai pensar duas ou tres vezes antes de se lancar em qquer concurso que supostamente podera aparecer. Como voce disse, por mais que tenhamos o ingles avancado no Brasil, dificilmente sera o suficiente. E nao e so para o Canada, e sim, para qquer outro Pais do exterior.Um abraco e boa sorte!!

    • Ola antonio! gostei muito das suas informacoes,atualmente morro no brasil,mas morrei nos USA por 4 anos,retornei ao brasil para continuar os estudos.Sou formado em protese dentaria e estou cursando o 3 ano de direito.minha esposa e dentista e estamos interessados em morrar no canada,gostaria de saber sobre chances nestas profissoes,desde ja agradece pela ajuda.

  4. Olá estou terminando o curso de medicina este ano e estou interessado em trabalhar com minha família no canadá. Gostaria de saber se vc tem informações sobre a facilidade de encomtrar emprego na área de médicina e qual a faixa salarial média dos médicos canadense. Se vc tiver também informações importante sobre o sistema de saúde, eu agradeço. Abraços

Deixe uma resposta