Mochilando com o Luiz Jr. na Colômbia e América Central

Recentemente fiz uma viagem que durou cerca de dois meses afim de conhecer a Colômbia e todos os países da América Central. Compartilharei aqui com vocês das peculiaridades de cada um dos países, bem como do que de melhor existiu em cada parte de cada lugar que visitei e o que realmente valeu a pena nesse mochilão. Sendo assim, que tal se começássemos pelo começo? Apresento-lhes a Colômbia e em um primeiro momento sua capital: Bogotá!

Quando decidi viajar para a Colômbia, várias pessoas me questionavam se eu não estava ficando louco, aceitando caminhar por terras um tanto quanto desconhecidas pelos brasileiros e é claro, por conta do que noticiam na mídia sobre a Colômbia: as guerrilhas armadas das FARC. Pois bem, definitivamente este país vizinho do Brasil não é só guerrilha, e muito pelo contrário, a Colômbia se resume a uma potência latina americana, com fortíssimo poder de influência e decisão no mercado da sul americano. Bogotá, diferentemente de Buenos Aires, não possui uma apelação turística tão focada aos brasileiros, sendo assim, tenha certeza que serão raros os momentos que você encontrará alguém que compreenda o português por ali. O espanhol conversado na Colômbia é definitivamente mais rápido e tem certas diferenças de expressão, que podem gerar uma certa confusão para aqueles que se acostumaram ao espanhol portenho da Argentina.

Bogotá possui um centro histórico, construído nas cercanias de um bairro chamado Candelária. Uma característica interessante de ser notada em Bogotá são os complexos sistemas de parques que se integram em um conjunto de corredores para pedestres e com as chamadas “ciclorutas”. É irrecusável o convite feito pela cidade para passeios de bicicleta! Essas “ciclorutas” se combinam perfeitamente com praças, zonas úmidas, alamedas e boulevars. Você encontrará mais de mil parques urbanos ao visitar essa cidade e verá que faz parte da vida das pessoas ir para as ruas, caminhar tranquilamente com as crianças nos parques e praças, e isso é notado principalmente caminhando nas principais ruas da Candelária e de seu centro histórico em geral. Ah, já ia me esquecendo, tudo isso com a maior segurança já presenciada por mim, tanta até que não se compara com o que é ofertado em muitas capitais brasileiras. Bogotá é segura para se turistar, existem policiais a cada quadra, armados, que são respeitados pela comunidade em geral. Visitei Bogotá por 4 dias e não vi uma briga na rua, uma discussão sequer, ou qualquer correria que me atentasse a preocupação de algum atentado por prováveis guerrilheiros.

Simón Bolivar é o nome do principal parque de Bogotá. Considerado como pulmão da cidade, ali você vai encontrar lugares interessantes para se visitar: o “Palacio de los desportes”, “Plaza de los Artesanos”, “Museu de los Niños”. Outro atrativo interessante que você encontrará nas cercanias da Candelária é o “Museu del Oro del Banco de la República”: um dos maiores legados colombianos, o Museu do Oro está construído no Parque de Santander e é também um dos passeios turísticos mais ofertados por lá.

O bairro da Candelária é muito bem localizado! As ruas são cheias de lojas, mercadinhos, feirinhas e padarias. Existem vários albergues e em leves caminhadas pelas ruas antigas do bairro você poderá conhecer muito da cultura colombiana. Este bairro foi construído aos pés do Montserrate. O Monserrate é uma montanha que envolve o centro da cidade de Bogotá. Com mais de 3.000 metros de altura, subir no cume de bondinho é uma atração turística obrigatória pra quem visita Bogotá! No topo existe uma igreja e essa é a principal rota de peregrinação dos colombianos. Ali também existem restaurantes, cafeterias, lojas de souvenir e várias outras facilidades para turistas. Dizem que é o por do sol mais lindo da Colômbia, eu visitei durante o dia e não posso testemunhar sobre, mais com certeza a vista da cidade é a melhor possível.

No fim do seu dia, não deixe de finalizar seus passeios sem degustar uma típica Arepa colombiana com refrigerante especial de Tutti-frutti. As arepas estão para a Colômbia assim como as tortilhas estão para a América Central. Eu não gostei muito, eu confesso, mais a realidade é que isso é sucesso na Colômbia. É normal ver vários lugares vendendo essa iguaria. Não se estranhe se não conseguir encontrar arroz com feijão em Bogotá! Eu não encontrei! No próximo artigo, falaremos um pouco mais sobre a Colômbia e sua incrível costa caribenha, vamos falar sobre Cartagena das Índias e como é passar um réveillon no Caribe Colombiano.

Luiz Jr. Fernandes

Meu nome é Luiz Jr. Fernandes, nasci há 29 anos atrás na cidade de Cachoeira do Sul, no Rio Grande do Sul. Por questões familiares, me mudei ainda criança para uma cidade do interior de Goiás, chamada Inhumas, ali me radiquei e até 3 anos atrás (ano de 2008) nunca tinha sequer utilizado um avião ou muito menos conhecido as águas salgadas do mar. Já conheci mais de 10 países em menos de 3 anos. Motivado por descobrir novos rumos e transformar a monótona vida de analista de sistemas à qual estava habituado até então, realizei minha primeira viagem internacional em 2008, foi um mochilão no qual voei do Brasil para Bogotá, de lá até Cartagena e Barranquilla para então conseguir alcançar a cidade do Panamá! Viajando do modo mais econômico, e tentando explorar as oportunidades como os nativos, viajei da capital panamenha até a capital salvadoreña de San Salvador (El Salvador), passando por Costa Rica, Nicarágua, Honduras e Guatemala, sempre da forma mais barata, comendo como os nativos, hospedando-me em albergues e guest houses, conhecendo e conversando com as pessoas ricas, pobres, vendo a realidade de cada rua escura de cada bairro nobre ou humilde de todos os países da América Central. Isso em 2 meses de viagem. Quando cheguei ao fim de minha viagem e regressei ao Brasil, o impacto das experiências vividas foi tão profundo que transformou completamente a minha forma de viver a vida. Um ano depois, com os mesmos ideais da viagem centro-americana, desci até os confins da patagônia e pude contemplar as paisagens mais maravilhosas já vivenciadas por mim: Torres del Paine no Chile e Perito Moreno na Argentina. E sempre da forma mais barata, comprando conexões intermunicipais, comendo nos mercados locais, investindo tempo nas pessoas locais. E não foi por aqui que parei também não. Ao regressar desta viagem de 20 dias, o sentimento foi o mesmo de quando voltei da América Central!

10 pensamentos sobre “Mochilando com o Luiz Jr. na Colômbia e América Central

  • 6 de outubro de 2010 às 03:36
    Permalink

    Nunca havia pensado em visitar a Colômbia, mas lendo este artigo, até que fiquei bem interessada 😉

    Responder
  • 6 de outubro de 2010 às 08:30
    Permalink

    Olá Clarissa, tudo bem?! Obrigado por seu comentário! Realmente a Colômbia é indescritível! Vale muito a pena visitar as cidades de Bogotá, Medellin, Cartagena e Santa Marta! São altamente seguras e turísticas! Quando estive por lá visitei Bogotá, Cartagena e Barranquilla, é claro que já pensando em meu retorno, quando penso em visitar Medellin, Calli e Santa Marta! Vale a pena heinn!!

    Responder
  • Pingback: Tweets that mention Mochilando com o Luiz Jr. na Colômbia e América Central  | Sair do Brasil -- Topsy.com

    • 15 de dezembro de 2010 às 22:15
      Permalink

      Tenho um filho do coração que é Padre e vai ficar 2 anos fazendo
      mestrado em Bogotá na Colombia,estou com o coração apertado pelas noticias que vejo sobre o pais e pela distancia, gostaria de receber mais informaçõesé Coração de mãe ja com Saudades!!!!
      Ficarei muito feliz em receber mais informações
      Obrigada
      Regina

      Responder
  • 8 de outubro de 2010 às 03:20
    Permalink

    a resolver os problemas sociais, a colombia sera o melhor lugar do mundo para morar dentro de algumas decadas. penso ate em me aposentar por la. por que? nenhum outro pais do mundo reune as condicoes geoclimaticas que tem a colombia: altitude variavel com latitude proxima de zero. em outras palavras: escolha sua estacao do ano! morando na linda e multicultural bogota, pode-se sentir em permanente outono, e sempre que der vontade de um veraozinho eh so descer a serra ate as maravilhosas praias de cartagena a qualquer dia do ano! quem achar bogota fria a 3000m pode sempre escolher medellin mais abaixo e viver em permanente primavera! se juntar a isso o povo latinoamericano afamadamente mais legal, nada mal hein?

    Responder
  • 13 de outubro de 2010 às 11:15
    Permalink

    Faço minhas as palavras da Clarissa Comim!
    Belo post Luiz Jr. Tirou aquela “Má impressão” que eu sentia com relação a Colômbia! E com certeza vai pra lista dos lugares que irei conhecer!

    Responder
  • 24 de abril de 2011 às 14:48
    Permalink

    Cara, eu amo a Colombia, viajei muito pra lá a serviço e adorei essa terra, antes de ir pra lá tinha mesma impressão que muitos brasileiros tem, pelos noticiarios mostrando só as FARC, narcotrafico e td mais. Indo la vc encontra um povo muito alegre e educado, belas paisagens, belas colombianas hehe, em Bogotá, um clima muito gostoso com um frio ameno, belos parques com muito verde, final de semana de sol, e nos domingos e feriados a cidade vira um enorme complexo de lazer com a realização da Ciclovia, onde vc pode aproveitar pra conhecer a cidade de bicicleta por exemplo, e em varios pontos, palcos com animadores dançando aeróbica, a cidade toda vira festa, alias, nunca vi povo mais festeiro que os colombianos. Voltarei lá muitas vezesse Deus quiser. Pra quem quer saber mais como eh a ciclovia http://bit.ly/15KdmK

    Responder
  • 2 de janeiro de 2014 às 09:52
    Permalink

    But wanna admit that this is handy , Thanks for taking your time to write this. “Truth is the summit of being justice is the application of it to affairs.” by Ralph Waldo Emerson.

    Responder
  • 20 de julho de 2016 às 13:10
    Permalink

    Onde encontro o artigo sobre revellion cartagenas???

    Responder
  • 24 de agosto de 2016 às 13:40
    Permalink

    Luiz Jr, adorei seu roteiro!

    Estou pretendendo fazer um mochilão em outubro de 2017.
    Queremos fazer Bolívia, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras e por fim Guatemala.
    Vc acha que em 20 dias nos conseguimos fazer todos esses países?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *