Página Inicial Destino Telefone Celular em Londres

Telefone Celular em Londres

Mais do que no Brasil, ter celular – ou melhor – mobile em Londres é um luxo indispensável. Mas seria mesmo um luxo? Embora tenha um custo de vida altíssimo, comprar um telefone celular na Inglaterra não custa tão caro, a menos que você faça questão de estar com o modelo de última geração no bolso.

Tanto é que mais de quarenta milhões de pessoas no Reino Unido possuem um. Mais que uma despesa, ter um “mobile” pode ser muito mais um investimento: na vida sempre corrida de Londres, é sempre bom ter uma forma de contato que acompanhe você, ainda mais na hora de ser chamado para aquela vaga de trabalho.

Ou quando der vontade de mandar um recadinho de texto para aquela pessoa interessante que você conheceu na noitada anterior.

As opções são muitas e variadas, desde aparelhos até serviços operadores de telefonia. A tecnologia anda rápido: até agosto de 2002, a grande novidade era celular que tirava foto. Sete meses depois, os aparelhos mais modernos transmitem, além de imagem, som e pequenos filmes. Esse avanço tecnológico é muito bom também para quem nem está interessado em aparelhos modernos, uma vez que faz com que os preços dos celulares mais simples, desvalorizados a cada novo modelo no mercado, caiam.

Com uma boa pesquisa, você encontra um aparelho e plano que sejam indicados para o seu caso.

  • Para falar

Após comprar um aparelho, o segundo passo é o que exige mais cuidado, o de escolher uma companhia que forneça o serviço. Em muitos casos, você já sai da loja com tudo ok, mas lá vai ter a sua opção de escolha. São quatro as operadoras no Reino Unido, O2, Orange, T-Mobile and Vodafone, e o valor das tarifas varia não só de empresa para empresa, como dependem do horário, número discado, plano escolhido previamente.

A média do custo de uma ligação em horário off peak, para um celular da mesma operadora, é de 2 pences, mas é bom lembrar que dificilmente todos os seus amigos usem a mesma operadora. E ligações para um número de outra são mesmo muito caros.

Você pode ainda escolher ter uma conta mensal para pagar, onde taxa pelo aluguel da linha normalmente oferece um limite de minutos, mensagens de texto ou secretária eletrônica. Algumas operadoras oferecem ainda ligações gratuitas durante à noite ou fins de semana, mas passando do limite que a operadora inclui da sua taxa, é risco.

O mesmo vale para planos anuais. Esses dois são os que, geralmente, oferecem o aparelho de graça para uso durante o plano, sem que você tenha que comprar. Se você é um usuário controlado, normalmente a despesa com esse tipo de sistema gira em torno de £15 e £30, mas lembre que outra desvantagem é que o contrato mínimo é de um ano, o que dificulta as coisas se você quiser se desfazer do telefone antes disso.

Um tipo interessante de contrato é fornecido pelas empresas Sainsbury’s e mobilechooser.com. Esses planos comparam os preços de ligações das 36 tarifas oferecidas pelas quatro operadoras. A conta vai ser paga àquela que apresentar a mais barata tarifa dentro da sua opção de uso, ou seja, avaliando qual plano é melhor de se você usou mais durante o dia ou à noite, fins de semana, etc. É uma boa opção para quem não faz o mesmo tipo de ligação todos os meses

  • Sem conta para pagar

Mas se você quer evitar sustos, a recomendação é entrar no sistema “pre-pay”, ou seja, com operadora de cartão. Também chamado de “pay as you go”, a grande vantagem desse sistema, além da simplicidade em si para adquirir um aparelho, é que você pode controlar os seus gastos. É ideal para quem usa o celular mais para receber ligações, uma vez que, normalmente, o custo das chamadas é maior do que uma assinatura mensal. Para comprar créditos e fazer o “top up”, você pode adquirir um cartão ou descontar o valor desejado de seu cartão de crédito.

São duas as formas de celular de cartão, a tarifa tradicional, que cobra a ligação a depender da hora do dia em que você faz a ligação, ou a “stepped tariff”, que cobra um valor mais alto pelos primeiros minutos de ligação de cada dia, e então preços mais baixos para ligações feitas depois desta. A operadora T-Mobile tem ainda um pacote diferente para essa segunda opção, cobrando tarifas que dependem da quantidade de minutos usados.

E ao contrário do Brasil, a parte boa é que as empresas aqui não te obrigam a comprar um cartão todo mês – sendo assim, se você sõ pretender mesmo receber ligação, só precisa mesmo fazer o primeiro investimento!

  • Glossário:

Top up – colocar créditos no telefone, o que pode ser feito comprando um cartão da operadora ou através do cartão de crédito

Network – a companhia que fornece a tecnologia para fazer ligações, ou, como chamamos no Brasil, a operadora celular.

Provider – a companhia a que você paga para para usar o telefone, que normalmente é uma das networks, mas pode ser também One.Tel, Phones4U, Telecom Plus, Singlepoint and Virgin.

Sim card – uma espécie de chip que guarda o seu número e as informações da operadora. O telefone não funciona sem ele.

Tariff – o preço do plano oferecido pelo provedor

Por: switchwithwhich

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta