Página Inicial Dicas Quem vem primeiro, o ovo ou a galinha?

Quem vem primeiro, o ovo ou a galinha?

Quem vem primeiro, o ovo ou a galinha?

Cheguei a Paris há menos de um mês, para ficar 2 anos. E quando passa o sentimento de que você está em férias, dá um desespero de por a vida em ordem, para começar a sentir que aquela é sua nova vida e aquele é o seu lugar.

Comecei pelo apartamento. Percorri algumas imobiliárias do bairro e aí veio a primeira dificuldade digamos burocrática. Além de depósito garantia, precisava ter conta aberta em um banco. Já no banco, para eu abrir uma conta corrente, eu precisava de um comprovante de endereço. Bem fácil, não? Não sei quem vem primeiro, mas sei que o ovo e a galinha juntos, ao mesmo tempo, não dá!

Para aumentar ainda mais a angústia, tentei contratar um plano de telefone celular, mas me pediram, além de documento de identidade e cartão de crédito, comprovante de endereço e dados da conta bancária.

Então, uma coisa era fato: sem comprovante de endereço e sem conta bancária é bem difícil começar a ter uma vida normal na França.

Cheguei a uma imobiliária em que aceitavam colocar o aluguel no cartão de crédito e não me exigiram conta bancária. Pronto, pensei. Com o atestado de domicílio (documento emitido e assinado pela imobiliária onde consta o nome do locador e endereço do imóvel alugado) em mãos posso abrir uma conta bancária e, depois disso, comprar um celular.

Fui ao banco mais próximo da minha casa, com passaporte e atestado de domicílio. O funcionário olhou bem para o documento e disse que ele não servia como comprovante de endereço. E disse mais: que eu precisava ter a conta de luz ou telefone em meu nome ou então, trazer o documento original do proprietário do imóvel para conseguir abrir uma conta. Fiquei passada.

Chegando em casa, liguei para a imobiliária e obviamente me disseram que era impossível pegar o documento original do proprietário. E deram uma sugestão: procure outro banco, porque eles têm que aceitar o atestado.

Desliguei o telefone num mau humor daqueles, louca com a sugestão dada, achando aquilo tudo um absurdo. E parti em direção a outros 3 bancos. E todos, sem exceção, disseram aceitar o atestado de domicílio.

Aberta a conta corrente, no mesmo dia corri e comprei meu celular, sem problema algum.

Bom, resumindo essa história em dicas:

  1. A primeira coisa que você precisa é de endereço fixo e atestado de domicílio. Não se esqueça de pedir esse documento na imobiliária. Se estiver com esposo/esposa, peça que o contrato de aluguel e o atestado de domicílio sejam feito em nome das duas pessoas. Isso facilitará para as outras providências.
  2. Com atestado em mãos, a segunda providência é a abertura de conta corrente em banco. No ato da abertura peça o documento de identidade bancária (releve d’identité bancaire). Eu recebi uma folha A4, parecendo uma Xerox, com seis quadradinhos iguais – a julgar pela aparência, nem me parecia nada tão sério e útil. Cada um desses quadradinhos é um documento e tem todos os dados, seus e da conta bancária. Você recorta os quadradinhos e anda com alguns na bolsa para o caso de ter que usar.
  3. Depois da abertura de conta corrente agora sim você pode ter celular. Na operadora você precisará de passaporte, cartão de crédito, atestado de domicílio e um dos quadradinhos que falei no item 2, o releve d’identité bancaire.
  4. Quanto te exigirem uma coisa muito absurda, como o documento original do proprietário do imóvel, tente outro estabelecimento. No meu caso, deu certo!
COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. dei entrada em minha dupla nacionalidade portugueza , mas gostaria de ir morar e trabalhar na frança, futuramente ja ai instalado ai fazer um curso de cozinheiro, dai-me informações, fico muito grato………..

  2. Depende,depende da pessoa,se a pessoa acreditar em Deus,obviamente vai ser a galinha,mas caso ao contrário,a pessoa acreditará na evolução ou seja os seres foram evoluindo pelo DNA,cada vez criando espécies novas.

Deixe uma resposta