Página Inicial Dicas Morar fora: Como se adaptar em outro país

Morar fora: Como se adaptar em outro país

Morar fora: Como se adaptar em outro país - Sair do Brasil

Morar fora não é tão fácil quanto parece. O primeiro mês é emoção pura, o espirito aventureiro aparece e tudo parece mágico e maravilhoso. Porém, logo a vida no exterior começa a parecer “vida real”. Contas, aluguel, problemas, e a única diferença é que agora você está em uma terra estranha e sozinho.

Morar fora, como se adaptar em outro país?

Antes de embarcar para os EUA eu recebi um conselho que carrego comigo até hoje, um amigo, um tanto nômade como nós me disse o seguinte: “Não desista antes de 3 meses. Depois, espere até os 6 meses, e se puder apenas tome uma decisão depois de 9 meses em um lugar, é o tempo de uma gestação mas também de uma adaptação”.

Na minha primeira crise de “quero-voltar-para-casa”, no final do quinto mês, caminhei 40 minutos chorando até o supermercado mais perto, eu precisava de um suco de laranja! Era o primeiro que me trazia um pouco de sabor do Brasil. Cheguei ao Publix (supermercado muito popular na Flórida) parecendo que tinha sido arrastada até ali por um caminhão, parei em frente à geladeira e me deparei com mais de 30 tipos de suco de laranja: com poupa, sem, low fat, 45%fat, 30%, com cálcio, sem cálcio, e por aí vai. Alí desabei: “que só quero um suco de laranja!”.

Tive outros momentos como estes ao longo desta minha jornada mundo a fora. E escrevo este artigo hoje para todos que estão enfrentando, enfrentaram ou enfrentarão tais momentos. O mais importante é sempre lembrar que os dias passam e estes sentimentos também, o segredo é não se deixar levar pelos impulsos e dar uma chance ao seu possível novo lar. Serão momentos de êxtase e felicidade, mas também de apertos e saudade.

Viajar de férias aos 15 e morar nos EUA são duas situações completamente diferentes. A segunda, muitas vezes, é muito solitária. O povo é mais reservado e demora-se para fazer bons amigos. No meu caso eu ainda compliquei mais por não querer estar envolvida com a comunidade brasileira. Estava determinada a falar inglês perfeitamente, e só ter amigos brasileiros não me ajudaria nesta tarefa. Então, fiquei só durante algum tempo, mas hoje vejo que valeu a pena e o conselho do meu amigo foi perfeito para o meu caso, depois dos longos 9 meses eu já estava adaptada e nem percebi os anos passarem.

Sei que este artigo é diferente dos outros, pois queria transmitir um pouco de vida real no exterior para todos aqueles que sonham em “sair por aí”. Pensei muito sobre a adaptação de morar fora durante este tempo na Noruega. Foram apenas dois meses, mas fiquei impressionada como fica mais fácil com o tempo. Relembrei os meus altos e baixos nos EUA e alguns que passei em Israel também. Não é fácil para ninguém no começo, mas vale a pena! O importante é lembrar que viemos de algum lugar, e que bem ou mal sempre podemos voltar.

Assista um pouco do meu dia a dia e veja como é morar fora. Basta conferir o vídeo!

COMPARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Olá Letícia, tudo bem?

    Conheci o seu blog através do facebook e vim conferir esta matéria no seu site, adorei, no momento eu estou fazendo intercâmbio na Irlanda e muitas das situações que vc descreveu eu já senti na pele e acompanhei outras pessoas vivenciando. Eu escrevo um blog sobre as minhas experiências na Irlanda, coloquei o seu artigo lá com os devidos créditos é claro, para que ajude outras pessoas tb, muito útil e informativo o seu texto. Caso não autorize a divulgação do seu texto no meu blog, me avise que eu tiro imediatamente do ar.

    Caso queira me fazer uma visita, será muito bem-vinda, segue o link do meu blog: http://www.jornadapelairlanda.blogspot.com

    Att,

    Luciana Sousa

    • Oi Luciana!

      Acho que não tem problema já que é dado os devidos créditos. Eu escrevo a matéria, porém a matéria pertence ao site. Mas como eu disse, já que feitos os devidos links e créditos está tudo bem!

      Vou visitar seu blog JÁ! Meu marido é apaixonado pelo Irlanda e estamos planejando uma viagem para aí.

      Espero que você esteja curtindo sua viagem! É difícil mas é bom!!! Ou não?
      Um abraço!

  2. Oi, Letícia!
    Parabéns pelo artigo! Sempre leio os seus e os adoro! Passei a acompanhar o seu blog também, que é bem interessante.
    Também sou do Rio, jornalista, e, vou morar fora também. Depois que fiz um mochilão pela Europa, não consegui pensar em outra coisa a não ser voltar para lá.
    Será que você poderia deixar algum e-mail ou entrar em contato comigo pelo meu (tatianafernandes86@gmail.com) para eu tirar umas dúvidas com você, por favor? Vou pra Londres, a princípio para um curso de 6 meses de inglês, e depois não sei o que me espera por lá 🙂
    Abs,
    Tatiana

    • Oi Tatiana!
      Muito obrigada pelo feedback!
      Meu primo também esteve na Inglaterra por seis meses, fazendo um curso de inglês! Vou ver se entrevisto ele para colocar a matéria aqui no site! Sei que muitos leitores planejam fazer o mesmo e eu acho que é uma experiência e tanto! Principalmente quando se trata de Londres!!!
      Um abraço! Bon Voyage!!!!!

  3. Letícia acompanhamos voce desde a CVC e amamos suas aventuras de coragem e determinação.
    Somos tbem aventureiros e isto nos faz lembrar as situações enfrentadas em lugares diferentes.
    A admiramos muito e sempre torcemos por voce!
    Beijos:
    Sirley & Abrahão

  4. Olá!!

    Obrigada por responder ao comentário. Sim, a Irlanda é linda demais e vale muito à pena um passeio por aqui, quanto a fazer um intercâmbio vc tem razão, é difícil mas é bom!! Adorei a frase!! rs

    Se precisar de qualquer dica sobre a Irlanda, é só deixar comentário no blog que eu responderei com maior prazer.

    Lugares que vc não pode deixar de conhecer:
    – Os cliffs em Galway
    – As montanhas de Wiclow
    – Bray
    – Pub Irish
    – Passear por Dublin

    Quanto as comidas, não tenho nada de bom para te indicar, eu odeio a comida daqui, rs.

    Att,

    Luciana Sousa
    wwww.jornadapelairlanda.blogspot.com

  5. Oi Leticia…Estou no Canada tem um mes como caregiver.E muito diferente, e ainda mais estou numa zona rural-tenho pouco acesso a cultura local.Vivo um dia de cada vez, pois o choque cultural é grande.Seu artigo é ótimo e inspirador.Obrigada!

  6. Olá
    Estou morando em Toronto-Canadá há quase quatro meses… Vim estudar e trouxe meus dois filhos de 8 e 10 anos. Também foi a forma que encontrei para não me separar definitivamente, já que passei uma grande crise conjugal depois de um casamento de 16 anos.
    Pra mim, este momento que estou vivendo está o mais difícil. Tenho tido muita muita vontade de ir embora.
    Para o meus casamento, foi muito bom. Pois agora reatamos e estamos bem..ele está tentando dar um jeito, em relação ao trabalho, e vir ficar com a gente até o fim.
    Vim com muitos sonhos e hoje vejo que a realidade é outra. O País é excelente para uma família morar. Muito seguro e tenho sido muito acolhida. Meus filhos foram para a escola gratuita e é ótima! Porém sinto muita falta da minha vida no Brasil, dos amigos, do calor, da praia, da minha casa cheia de amigos dos meus filhos. Aqui ainda não conseguimos muito entrosamento. As pessoas são mais “secas”!
    Minha vida no Brasil era muito confortável financeiramente. E aqui não temos carro (apesar que só sinto falta quando está muito frio e quero ir para lugares mais longe) o transporte aqui é ótimo!
    Moramos em um apartamento, muito bom, porém no Brasil, morava em um sítio.
    Mas confesso que toda a experiência e aprendizagens que estamos tendo, está nos transformando aos poucos…Nos fazendo crescer e dar outros valores a tudo!!
    Meus filhos estão a cada dia falando melhor inglês e eu também (criança aprende muito mais rápido) estamos vivenciado detalhes de cultura e educação, que jamais observávamos antes.
    Então, deixo aqui um pouquinho mais de experiência e espero que eu agüente ficar aqui um ano, como me prôpus desde o início.

    • Olá Dani!!

      O primeiro ano é o mais difícil mesmo!
      Não se deixe abater, em breve se acostumará com a nova cultura, fará novos amigos, terá um novo lar, se te servir como ajuda pense em seus filhos, na qualidade de vida que tem aí. Em breve seu marido irá para o Canadá e vocês ficaram bem.
      Força guerreira! E muito obrigada pelo seu relato.

      Se precisar de um ombro amigo estamos por aqui!
      Abraços

Deixe uma resposta