Página Inicial Destino Américas Viver em Quebec vale a pena? 2 anos no Quebec e as...

Viver em Quebec vale a pena? 2 anos no Quebec e as minhas impressões

Viver em Quebec

Viver em Quebec vale a pena? 2 anos no Quebec e as minhas impressões.

  1. Viver em Quebec – Violência: Aqui esquecemos disto. Lógico que existe tráfico de drogas, assaltos, roubo de carros, assassinatos, fraudes, estelionatos, etc.., mas em número tão pequeno que não ameaça a sensação de segurança que sentimos. Assim, um cara esfaqueado de madrugada no centro de Montréal vira notícia, tanto como o tal de Villanueva morto pela polícia há quase um ano, caso que continua a dar o que falar.
  2. Viver em Quebec – Poluição: Tem poluição, smog, camada de ozônio destruída, mas nada comparável à  São Paulo.
  3. Viver em Quebec – Trânsito: Trânsito existe, principalmente dentro de Montréal e nas pontes que ligam à Rive-Sud (mais grave) e à Rive-Nord(Laval). No inverno, o pessoal dirige bem mais devagar e as ruas ficam mais estreitas por causa da neve acumulada. No verão, temos as obras. Mesmo assim, nada comparável à São Paulo, pois além de não termos congestionamentos monstros em qualquer hora do dia, não existem motoboys nem o medo de ser assaltado nos faróis.
  4. Viver em Quebec – Respeito aos animais: Se bem que existem criadores inescrupulosos e donos  irresponsáveis , achamos bom não vermos animais abandonados na rua (principalmente cachorros).
  5. Viver em Quebec – Qualidade de vida: o horário de trabalho é respeitado, ciclovias, parques, patinação no gelo,etc…
  6. Viver em Quebec – Bilinguismo: A região de Montreal é um dos poucos lugares verdadeiramente bilíngues no Canadá. Temos TV aberta e  escolas e universidades nos dois idiomas e no trabalho, a  mistura de idiomas é uma realidade. Só temos a ganhar com essa diversidade.
  7. Viver em Quebec  – Burocracia: Segundo o que vivemos até agora(não posso falar por todos) , achamos tudo pouco burocrático,  até mesmo os serviços governamentais. Para quem estava acostumado à apresentar mil cópias autenticadas com firma reconhecida para qualquer coisa,  aqui é o paraíso.
  8. Viver em Quebec  – Saúde: É o tema mais controverso. Há o lado bom e o lado ruim, mas não podemos opinar muito ainda, pois felizmente não utilizamos muito este serviço. Analisando do ponto de vista  que todos recebem o mesmo tratamento, rico ou pobre, achamos mais justa que o sistema brasileiro que tem duas caras: o pobre vai ao Inamps, a classe média baixa tem plano de saúde meia-boca(se tiver) e poucos têm um bom plano de saúde(mas nunca perfeito). Mesmo nesse grupo, tem os que vão ao Einstein e os que esperam 6 meses por uma consulta.
  9. Viver em Quebec – Repartição da renda: Aqui é muito mais justo sem dúvida. As profissões mal pagas no Brasil aqui são melhor remuneradas. Isso reflete no nosso bolso, pois fica bem mais caro pagar por alguns serviços. No Brasil a concentração de renda aparece claramente. Aqui é menos grave. Isso incomoda claramente os imigrantes oriundos da “elite” brasileira.
  10. Viver em Quebec  – Internet, celular: Aqui não tem nada comparável à má-qualidade do Speedy. Meu serviço da Videotron vem funcionando há 2 anos sem interrupções nem falhas. Não tenho do que reclamar também da operadora Rogers (celular).
  11. O verão é só alegria, muita vida, muito passeio de Bike, festivais…
  12. O Outono é muito belo e triste também, pois é um sinal da chegada do inverno.
  13. A primavera nos dá esperanças que o inverno termina e que um dia começa o verão..ainda tem frio e muita chuva…mas a vida renasce…a grama começa a ficar verde, as folhas nascem novamente, as flores aparecem.
  14. Transporte: Agora temos carro, mas vivemos por 14 meses a realidade do transporte público. É seguro, normalmente pontual e organizado, se bem que peca pela limpeza.
  15. Apoio para os imigrantes: francisação, cursos de inglês/francês, emploi québec,etc..
  16. Respeito: Nunca sentimos descriminação por sermos imigrantes, nem conheço alguém que tenha sido. Tem quem é racista e descrimina, mas onde é que não tem?
  17. Direitos civis: Direito ao aborto, casamento gay, restrição ao porte e venda de armas, inexistência de pena de morte.
  18. Shows, cinema: Nenhuma confusão nem filas. É chegar, dar o ingresso e ir entrando. Seu lugar está lá garantido. Como aqui não tem a famigerada “meia-entrada”, muitos preços aqui chegam a ser menores do que no Brasil.
  19. Inverno: Não é só o frio. Estando com a roupa certa, tudo bem. O pior são os dias curtos, calçadas escorregadias, remover neve e gelo do carro mas o pior mesmo é  a duração do inverno e o que deixamos de fazer por causa dele. Em meados de outubro já começa a fazer frio para andar de bicicleta. Guardamos a bike e só voltamos com ela quase em maio. Praticamente 5 meses ! E bota um mês a mais sem sair de casa só de bermuda e chinelo. Lógico que a gente sai de casa para patinar, esquiar ou só passear , mas sem dúvida o tempo que passamos ao ar livre é muito menor.
  20. Bancos: mais especificamente os sites. são bem mais simples.  Nada comparável ao bankline do Itaú por exemplo.
  21. Serviços: Tudo é caro, mas é o preço que se paga por viver numa sociedade com menos injustiças. No mínimo, $9/h..no mês pode chegar a $1500, suficiente para viver dignamente.
  22. Acomodamentos: Excesso de concessões à determinados grupos de imigrantes que se  recusam à aceitar e se adaptar aos valores da sociedade québécoise/canadense, apesar  de terem escolhido imigrar para cá.
  23. Gerenciamento de trânsito: Aqui a CET dá saudades. Se um semáforo quebra, fica assim por dias e não vem ninguém para organizar o cruzamento. Quando tem obra,  chegam e fecham a rua, sem analisar os impactos. Muitas vezes fecham uma faixa dias antes de começar a obra. Poucos semáforos inteligentes. Tem lugar que o tempo de abertura de uma rua sem movimento é o mesmo de uma grande avenida.
  24. Obras: Depois do longo inverno, as ruas estão todas cheias de buracos. Então começa a temporada das obras na primavera até o outono. Se o trânsito complica no inverno por causa da neve, no verão o  trânsito é ruim por causa das obras.
COMPARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

  1. Boa Tarde,

    Gostei muito da página e gostaria de algumas dicas, de informações sobre a imigração para o Canadá.

    Meu nome é Thais e tenho um projeto de ir morar no Cnadá no segundo semestre do ano que em, uma vez que ainda estudo francês para melhor adaptar.

    Se tiverem informações sobre empregos em geral ficarei muito grata.
    Alem de dicas e informações sobre cursos, moradia, bem como é o ingresso para o Canadá.

    Aguardo ansiosamente,
    Thais

  2. Alexandre,
    Suas informações são muito interessantes, e a forma como as escreve torna a leitura agradável. Parabéns.
    Estive no Canadá em junho de 2008 com minha namorada, que é brasileira e tem nacionalidade canadense (ela viveu perto de Toronto por cerca de 8 anos). Também sou analista de sistemas/desenvolvedor (comecei em 1984 e tenho 49 anos).
    Me interessei em ir morar no Canadá (minha namorada também deseja voltar) e tenho observado uma contradição entre o que leio de “propaganda” e as informações oficiais.
    Explico: Por todo lado (blogs, sites, notícias) leio que o Canadá está ABERTO para imigrantes. Todos falam que há muitos empregos e que o Canadá precisa de profissionais -inclusive na nossa área de TI, e que o governo canadense incentiva os mais experientes a virem para o Canadá. No entanto…. . quando vou ao site do consulado do Canadá e pesquiso por emigração como “Skilled Worker” vejo que só a categoria de Gerentes (Managers) está aberta. Desenvolvedores, programadores, analistas-programadores, como eu (com mais de 20 anos de experiência) estão excluidos da lista de profissionais que podem se qualificar como “Skilled Worker”.
    Há vagas para carpinteiros, eletricistas, geólogos, enfermeiras, soldadores…etc e etc… mas na área de TI, só para Gerentes.
    Gostaria, por favor, de saber sua opinião sobre o assunto e se, realmente não há o interesse em profissionais de desenvolvimento de sistemas.
    Desde já agradeço e aguardo retorno.

    Marcelo Duro.

  3. Olá, alexandre sou da área de IT e estou com planos para imigrar pro canadá, mas me preucupou essa questão do racismo. Isso acontece muito?Pq o que mais vejo é as pessoas falarem que montreal é um lugar sem preconceitos nenhum. Você pode descrever mais um pouco sobre o assunto?

    Obrigado!!!

  4. nao e bem assim!nunca encontrei um imigrante que depois de viver um certo tempo no canada da parte inglesa gostasse de la ficar!a maioria tenta ir para os USA!o Canada e um pais de ilusoes e e bastante perigoso no capitulo do trafico de seres humanos , que tem destino a prostituicao , a venda de orgaos e outros!e so consultar o site das missing women no canada e a verdade e essa la nao as experiencias, ainda bem felizes de quem penso eu esta na parte francesa essa muito melhor alias !

    • Oi Maria, se vc fala assim da parte inglesa, imagine a francesa. Morei em Montreal, estudei frances intensivamente, mas mesmo falando frances com fluencia, os “montrealaises” e “québecoises” discriminam estrangeiros mesmo. Uma vez ouvi um comentario em um onibus do tipo: Vcs sabem o que comem na América do Sul? Comem formigas (Ils mangent des formis).
      Nunca tive intensao de imigrar ao Canada, apenas de aprender ingles e frances e me manter bem empregado em Sao Paulo. Porém para quem tem intensao, fique de olhos bem abertos quanto a propaganda deles, a de que é um país de mil maravilhas. Talvez seja para os locais.
      Quanto ao artigo, concordo com a maioria das coisas escritas. Em questao de justica social nos brasileiros estamos muito atrasados em relacao aos canadenses. Mas em compensacao, o que tem de canadense passando fome e vivendo de aparencias devido ao preco dos alimentos, olha…..
      Viva o Brasil!!

  5. Gostei do artigo, estou pesquisando bastante sobre Quebec, já que eu e minha família gostaríamos de emigrar para lá no fim desse ano, ou no começo do próximo. Esse artigo foi muito esclarecedor.

  6. Eu moro em Ville de Québec a dois anos,realmente o preconceito contra os imigrantes é muito forte, meu filho de 7 anos foi agredido na escola e lhe disseram para voltar para o seu pais, que o Canadá não é o nosso pais.Tirei da escola publica e coloquei na privée, é bem melhor,mas não se iludam, aqui nós sempre seremos os ETs.O meu filho mais velho teve que ouvir que os imigrantes só serviam para sujar o Québec.Só estou esperando acabarem as aulas em junho e estou indo para Ottawa onde os imigrantes são tratados com mais respeito, pelo menos eu espero….

  7. Moro a dois anos em Québec, a discriminação contra imigrantes é muito forte, já ouvi coisas do tipo:o Québec é para os quebecois, os imigrantes só servem para sujar o Québec… e por ai vai.
    Eles nos olham com ódio quando falamos em portugues na rua e chegaram ao ponto de mandarem meu marido parar de falar em portugues e falar em frances com o meu filho quando estava dentro do hospital internado tomando soro.
    Como é uma sociedade laica, pronunciar o nome de Deus é o fim, nem pense em dizer graças a Deus!É claro que nao tem violencia, tudo é muito calmo e tranquilo, a gente faz piqueniques maravilhosos no verão,mas não é nenhum mar de rosas. Dentro de dois meses estou indo embora para Ottawa, onde vão a maioria dos imigrantes que chegam ao Canada, espero ter mais sorte desta vez….

Deixe uma resposta