Página Inicial Estudar Porque algumas pessoas não aprendem o inglês

Porque algumas pessoas não aprendem o inglês

15
Porque algumas pessoas não aprendem o inglês

Eu não conseguia entender porque alguns brasileiros e hispânicos que vivem nos EUA já por muito tempo não falam inglês fluentemente. Existem muitas explicações, mas depois que me mudei para os EUA e convivendo com brasileiros e hispânicos, ficou fácil de entender o porquê.

I Want You To Speak English or Get Out!A primeira vez que vim aos EUA foi em 1995 quando me matriculei em um curso intensivo de quatro semanas na cidade de Boston Massachusetts. Na época optei por ficar em uma casa de família americana. Não somente por curiosidade de ver como os americanos viviam, mas também porque, segundo meu orientador do STB, era melhor para aprender o idioma. Já na escola conheci vários brasileiros que optaram por ficar nos alojamentos da Collings University. Estes, só falavam em inglês dentro da sala de aula. Muito embora a escola tivesse um regulamento de que não se podia falar a língua nativa em suas dependências, os brasileiros ao saírem da sala de aula, só falavam em português. Primeiro erro.

O segundo erro, a meu ver, era que os brasileiros só faziam amizade com outros brasileiros e em todas as atividades fora da faculdade nunca treinavam o inglês. Alguns deles já frequentavam esses cursos de férias por duas ou três vezes e não eram fluentes em inglês.

Eu optei por fazer amizade com pessoas de outros países. No nosso grupo havia egípcios, japoneses, holandeses, italianos, gregos e outros. A única opção era mesmo nos comunicarmos em inglês. Todos os dias ao chegar à casa, a família me fazia muitas perguntas e eu tinha que encontrar uma maneira de respondê-las . Isso contribuiu muito para minha aprendizagem, mas não somente isso.

Depois de levar um puxão de orelhas da minha host mother por não ter feito a lição de casa antes do jantar (risos) eu, ao chegar da escola, passava algumas horas estudando. Fazia também as redações e pedia ajuda da família para corrigi-las o que eles faziam com todo prazer. Para minha surpresa, os brasileiros não faziam as lições e trabalhos exigidos. Outro erro.

Um dia resolvi aceitar o convite de ir com outros brasileiros ao shopping depois da escola. Claro que só falávamos em português. Chegando no metrô, todos pediram para eu comprar os bilhetes, pois não sabiam como pedir. Eu, já estava acostumado porque, pegava metro e ônibus todos os dias para ir pra escola. Nas lojas a mesma coisa. Sempre me solicitavam como tradutor. Fiquei imaginando quanto dinheiro desperdiçado para vir aos EUA e voltar sem saber muita coisa da língua inglesa.

Atualmente aqui na faculdade não é muito diferente. Os dois únicos brasileiros que eu conheço falam muito bem em inglês. Já os porto-riquenhos, dominicanos e outros é quase impossível entender o que dizem em inglês. Mesmo dentro da sala de aula, estes só falam em espanhol. Fora da sala de aula então nem se fala. Conversando um pouco com eles descobri que só assistem canais em espanhol porque acham difícil entender os canais americanos. Só ouvem rádios espanholas e o círculo de amigos deles gira exclusivamente em torno das pessoas da mesma nacionalidade. Isso acontece também com muitos brasileiros no país. Se você for, por exemplo, ao supermercado brasileiro em Orlando verá que os brasileiros lá fazem as mesmas coisas que os hispânicos que conheço. Nas suas casas só assistem a Globo e SBT via cabo. Só tem amigos brasileiros, só trabalham para brasileiros cujos clientes são brasileiros. No final das contas, mesmo após cinco anos não falam a língua do país. E hoje em dia algo pior contribui para o insucesso daqueles que aqui vêm para aprender a língua inglesa.

Hoje, muitos dos que estão matriculados nas escolas de línguas passam as aulas conectados ao Facebook, MSN e Orkut falando e digitando em português. Essas ferramentas acabam por sabotar o aprendizado da língua inglesa. Com a facilidade de usar essas ferramentas pelo telefone celular, muitos passam o tempo aqui sem ter uma real experiência de imersão na cultura e língua dos americanos.

Mesmo morando com uma família americana no momento, eu tento aprender algo novo todo dia. É fácil se acomodar e viver só com o inglês necessário. Mas eu tenho meus truques. Por exemplo, é mais fácil fazer uma lista de compras em português e se mandar para o supermercado. Eu tento fazer a lista em inglês e assim aprendo várias palavras novas todas as vezes. Temperos, verduras exóticas, nomes das carnes, tudo é muito diferente. Dá trabalho, mas é assim que se aprende. Quase todos os meus novos amigos são americanos e mesmo na sala de aula, quando encontro com os brasileiros procuramos falar somente em inglês, visto que achamos falta de educação falar em outra língua na presença de professores e outros. Coisa que os hispânicos não se importam.

Como já escrevi em um outro post, falar bem em inglês abre muitas portas para quem pretende viver nos EUA. Em uma entrevista de emprego, ao se relacionar com colegas de trabalho, fazer novos contatos e abraçar novas oportunidades, tudo vai estar vinculado ao quão bem você fala a língua do país. Geralmente se você vive aqui por algum tempo e fala mal em inglês, as pessoas associam à preguiça de aprender, desinteresse pela cultura ou incapacidade. E isso “queima o filme”. Já aqueles que desenvolvem bem a língua e ainda mais, tentam falar com o menor sotaque possível, são vistos como inteligentes, diligentes e capazes de coisas ainda maiores.

COMPARTILHAR

15 COMENTÁRIOS

  1. oi, Renato, boa noite.
    conheci seu site através de uma amiga. irei viajar em janeiro pra NYC, ficarei 4 semanas estudando inglês. olha, simplesmente A-DO-REI suas dicas!
    vou me policiar para não cometer esses erros e perder o objetivo da minha viagem: falar inglês!
    obrigada, mesmo!

  2. é isso ai galera
    dia 29/10 embarco para toronto para estudar ingles
    vou ficar pouco tempo 4 semanas
    mas é a minha primeira ida ao exterior
    espero ir mais vezes

    projeto 2012 proficiencia em ingles
    vai me abrir muitas portas na empresa que eu trabalho
    inclusive trabalhar fora do brasil

    eh nóx abraço e boa sorte a todos nós nesta empreitada….

  3. Voce acertou em cheio em suas observações.

    Eu tambem partilho a opiniao que se vc quer aprender outra lingua, nao deve ficar em grupinhos de brasileiros.

    Falar ingles é uma questao de tempo e imersão total no idioma.

  4. Ola Renato, como vai?
    Parabens pelo artigo. Assino contigo e acrescento o comportamento de fugir das situacoes de contato que os brasileiros adotam. Evitam entrar em lojas que os atendentes vêm aborda-los e fogem ao primeiro “hello, can I help you?”. O comodismo e ate a timidez de nada ajudam essas inocentes criaturas.
    Grande abraco!

  5. Adorei a reportagem e é a pura verdade! Durante o meu intercâmbio na Alemanha eu vivi muito isso em Düsseldorf! Tinha muitos brasileiros na sala porém os professores dividiam as salas conforme a nacionalidade para não ter muitos estudantes dos mesmos países e idiomas.

  6. Isso que está no post pode ser resumido em descontrole emocional. Sim, porque a relação que temos com a língua-mãe tem muito a ver com as emoções. Como um brasileiro se sente mais confortável ao se expressar? Claro que é falando em português. Mesmo que ele entenda algumas coisas em outro idioma, ele tende a se refugiar no idioma nativo. Grande parte das pessoas se sente aliviado(olha aqui a emoção) quando tem chance disso.
    E quando vai melhorar no inglês? Nunca, pois sente grande apego ao português e medo do novo.

  7. O renato td bem entao me ad ae no face
    estudo tec eletronica
    estou me preparando para cursa eng eletronica
    pretendo mudar a historia da minha familia provando para primo mae e irmao que se eles tiver um sonho corra atras
    eu falo sempre que eu nao tenho sonho tenho metas
    ja provei uma coisa para minha mae e meu irmao sai de casa pago aluguel ajuntei com minha namorada e coloquei na cabeça dela a mesma coisa começamos dormindo no chao hj temos quase td e td a vista
    agora quero falar ingles para melhorar minhas chanses no mercado de eletronica
    e estou gostando ja consegui certificado de eletrica e nr10 (leandrosc87@hotmail.com)good night

  8. Boa tarde!!!
    Decidir começar estudar inglês em casa, tenho só o cursos. E essas dicas valem muito mesmo. Conheço amigos que hoje são fluentes, estudando sozinhos em casa, com dedicação, disciplina e esforço, também buscando as dicas e meios nos sites. Obrigada, galera.

  9. Estou nos estados unidos à 3 semanas (intercâmbio de pesquisa) e não estou fluente, cheguei intermediária, consigo me comunicar quando preciso, peço coisas, entendo 60% das palavras e 90% do sentido do que estão falando. Algo que esta me deixando bem ruim é a saudade, falo muuuuuuuuito em português com a minha família e onde estou (long island ny) as pessoas são um pouco fechadas o que me influencia a ficar comigo mesma. MINHA DICA: vá para uma cidade movimentada, lá você estava sozinho poucos momentos. Não se negue totalmente a falar português, mas estabeleça horário para falar com brasileiros, para ficar no face, para falar com a família. Leia livros do seu interesse em inglês (de preferência algo que nem foi traduzido para deixar mais em alta a vontade). FAÇA UM CURSO, SE MATRICULE EM UM LUGAR, o gasto pode ser grande, mas o retorno é muito bom.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui