As 10 melhores dicas inúteis para sua viagem à Cuba.

Você pode ler guias e mais guias, passar horas vendo vídeos na internet, fuçar nos fóruns especializados, conversar com amigos que já estiveram lá. Tudo isso e mais um pouco não traduzem nem um décimo da sensação de se estar no lugar. Conheço gente que se decepcionou ao ver a Monalisa ao vivo depois de anos de eterna devoção a Leonardo da Vinci. Como também sei de gente que derramou lágrimas ao ver Ipanema. Não pelo recorte natural da paisagem, mas por conhecer uma praia bonita, limpa e aberta para todos. Sim, o gringo se encantou porque qualquer pessoa podia entrar e curtir o lugar. Nada de praias maravilhosas reservadas apenas para hóspedes de grandes hotéis. A verdade é que destinos aclamados podem ser uma verdadeira catástrofe e coisas banais podem ser incríveis para alguém. Um ambulante chato pode acabar com o seu dia em Bora-bora e um repentista pode animar o seu humor em Fortaleza. E as combinações não param por aí. O certo é que adoramos ver fotos do lugar que vamos visitar, discutir com amigos, imaginar como será quando estivermos lá. Um frenesi louco pré-viagem, mas que a gente logo esquece quando pisa no destino e começa a curtir de verdade.

Por isso, escrevi esse top ten coisas que me chamaram a atenção em Cuba. Talvez até sirva para alguma coisa na sua viagem. Mas a ideia é que você se divirta horrores lendo isso aqui antes do grande dia da sua viagem chegar. Com vocês, as 10 melhores dicas inúteis para sua viagem à Cuba.

1-     Mais difícil que fazer a revolução é encontrar um mojito decente em Havana. Aquela história do Hemingway de “mi mojito en la bodeguita y mi daiquiri en la floridita” é para boi dormir. Os dois lugares são caça-turistas e os drinques vão de mal a pior. O mesmo pode ser dito de 90% dos outros bares cubanos. Acho que é uma inocência que ataca todo turista: achar que toda pizza na Itália é boa, que toda paella na Espanha é de lamber os beiços e que o melhor mojito do mundo é cubano. Não, filhinho, acorda.

2-     Mandela chutou o apartheid da África do Sul e ele caiu bem em Cuba. Há a Cuba dos cubanos e a Cuba dos turistas. Para ganhar dinheiro com turistas em um país em que tudo é produzido visando o povo e não o lucro foi preciso fazer malabarismo. E eles criaram uma moeda só para turistas, mais ou menos equivalente ao dólar americano. Ok, assim já dá para meter a faca nos gringos. E a conta é simples: turista paga em dólar e cubano em peso cubano, que, convenhamos, foi feito para não valer nada. Mas, ao mesmo tempo, excluem os cubanos dos principais atrativos de Cuba. Nativo em bares, restaurantes, museus, boates e afins só se estiver trabalhando ou vivendo da caridade de algum estrangeiro. Triste.

3-     Arquitetos que se prezem devem passar uns dias em Havana. Lá se pode aprender a restaurar um prédio, conservá-lo e construir outro que não agrida o plano urbanístico da cidade. Bem diferente dessa arquitetura do dinheiro que rasga o céu com edifícios de 60 andares. Será que precisamos mesmo desses monstrengos de vidro?

4-     O bom de país socialista é ver programas de TV sem intervalos.

5-     Você prefere sair do seu país ou viver com segurança, saúde e educação de qualidade? Não que o cubano possa fazer essa escolha, mas lá tem tudo isso e mais esporte de graça. Talvez nós é que sejamos os coitadinhos.

6-     Tá, o socialismo é bem mais humano que o capitalismo, mas pegar um peugeot 307 de táxi é bom para caramba.

7-     Mais negócio que ir a Varadero é curtir a praia de Havana. O Havana Bus te leva lá por 3 CUCs (+ ou – 4 dólares americanos) e você curte tranquilão uma praia de areia branca e mar azulzinho transparente. A lagosta sai por 22 dólares e a travessa (não dá para chamar aquilo de prato) de camarões sai por 10 doletas.

8-     Vamos combinar, salsa e merengue são coisas de velho. A molecada gosta mesmo é do reggaeton. Chino & Nacho fazem qualquer cubaninha de 13 anos esquecer o Justin Bieber.

9-     Viver em um país fechado e com emprego garantido tira a ambição de qualquer pessoa. Acho que é um fenômeno parecido com o funcionalismo público aqui. O pessoal viu que já garantiu a vida e desacelera legal. Parece que a vida não tem altos e baixos.

10- Quem mora perto do mar sempre come bem.

Jarbas Pereira

Graças a Deus e ao bom Alá, largou cedo essa vida de turista para ser viajante. Não sabe ao certo quantos países visitou, mas sabe bem quantos amigos fez por lá. Publicitário, fã de cinema, fotografia, arte e afins, criou um blog com tudo aquilo que o impressiona no mundo visual. Já suas peripécias pelo mundo são contadas aqui no SairdoBrasil.com. Trabalha incansavelmente para aprender a falar na terceira pessoa.

15 pensamentos sobre “As 10 melhores dicas inúteis para sua viagem à Cuba.

  • Pingback: Tweets that mention As 10 melhores dicas inúteis para sua viagem à Cuba. | Sair do Brasil -- Topsy.com

  • 24 de fevereiro de 2011 às 22:15
    Permalink

    Legal esse seu texto. Cuba é com certeza o lugar que mais gostei de ter conhecido. Com certeza voltarei!E a dica da praia em Havana irei conferir.

    Responder
  • 26 de fevereiro de 2011 às 16:43
    Permalink

    Já viajei à Cuba 3 vezes e se você conversar com um cubano tenha em mente que embora sofram com a escassez de alimentos, eles são exagerados na maneira de falar. Por exemplo: se você diz que simplesmente não gosta de algo, vão dizer que você “detesta”, o que para nós brasileiros soa forte. outro exemplo: quando algo dá errado em suas vidas elem dizem que está sendo um “desastre”.
    Outra coisa que me chamou a atenção é como os cubanos ainda que simpáticos e legais são tremendos “boca sujas”. Lá qualquer coisa de pouca utilidade é chamada de “mierda”. Se eles vem um quarto cheio de bagunças espalhadas eles dizem: Fulana tiene su cuarto lleno de “mierdas”. Acreditem se quiser!

    Responder
  • 28 de fevereiro de 2011 às 09:50
    Permalink

    Leonardo, Cuba é mesmo um lugar muito interessante. Mas acredito que o povo cubano é como o do resto do planeta: há os boca-sujas, os educados, os golpistas etc. Gente e suas mais loucas personalidades estão em todo lugar. Tomara que da próxima vez que você for para Cuba encontre pessoas mais educadas!

    Responder
  • 3 de março de 2011 às 12:04
    Permalink

    Bonito, lindo, pessoas hospitaleiras… mas convenhamos, ohh regiminho hein?! Passar fome durante o final do mês, é brincadeira…
    Necessário conversar com um cubano pra saber o lado deles, da falta de libertade e escassez de comida pra entender melhor o q se passa no país.

    Responder
    • 3 de março de 2011 às 12:23
      Permalink

      Dani, vc tem razão. O regime é de lascar. Mas para eles a revolução ainda não acabou e é bem comum encontrar muros pintados com dizeres chamando o povo, como “hasta la victoria. Siempre.”Eles sabem que a coisa ainda não está boa e que há muito o que fazer. O problema é que a única grande fonte de recursos é o turismo, então Cuba sofre para implementar reformas mais agudas e rápidas.

      Responder
  • 28 de junho de 2011 às 23:21
    Permalink

    não ha como generalizar povos… não ha como viajar e curtir se não estiver com a mente aberta!!! ter humildade no coração não quer dizer q não há necessidade de cautela!!!

    Responder
    • 16 de julho de 2011 às 16:11
      Permalink

      Em janeiro deste ano fiz uma viajem independente de 2 semanas e circulei na Ilha de oeste a leste. Além do óbvio, constatei pessoalmente: que as cidades são muito limpas, se vc tiver dinheiro come e se hospeda muito bem, há muita prostituição, há muitos pedintes. Fidel é muito respeitado, mesmo por que está insatisfeito com o regime. Duas expressõe que mais ouvi: “hay que cambiar” (sobre o regime econômico) e “no alcança” (sobre o salário).

      Responder
  • 10 de agosto de 2012 às 17:50
    Permalink

    Acho que esse foi o melhor texto que li sobre Cuba, o mais real pelo menos.
    parabens.

    Responder
  • 6 de abril de 2013 às 22:57
    Permalink

    ola,adorei o texto estive em Cuba a pouco e voltei apaixonada pela ilha ,não por havana q é uma cidade velha,mas por Varadero que é fascinante,muito tranquilo lugar perfeito e seguro para as férias perfeitas se tivesse oportunidade concertesa morraria la…

    Responder
    • 7 de abril de 2013 às 18:52
      Permalink

      Cuba é fantástica mesmo, ELiane. Mas eu acho que eu não moraria lá…rsrs

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *