Página Inicial Publieditorial Publieditorial: Deixe o Murphy em casa

Publieditorial: Deixe o Murphy em casa

Finalmente o seu chefe liberou as suas férias. Trinta dias de descanso. O pacote para o tão sonhado destino já está garantido, as malas quase prontas, você não vê a hora de embarcar e bateu aquela pergunta: não estou esquecendo de nada?

Se o seu destino for França, Alemanha, Grécia, Itália, Espanha, Bélgica ou qualquer outro membro da Comunidade Europeia, é importante atenção ao Tratado de Schengen. Esse tratado, de nome diferente, nada mais é do que um acordo entre os países membros que exige do turista, em passagem pelo país, uma cobertura médica mínima no valor de € 30.000, para garantir assistência médica em casos de acidente ou enfermidade.

Outros destinos não possuem essa obrigatoriedade, mas e se você estiver nas montanhas de Queenstown (Nova Zelândia) ou na fila de um brinquedo na Disney (EUA) e bater aquela “dorzinha de barriga” que você sabe que só tem solução com um remedinho “milagroso”? Farmácias no exterior não vendem remédio sem receita médica, isso é uma exclusividade nossa, e uma situação como essa pode estragar qualquer viagem. Uma consulta médica não vai sair por menos de US$ 100, fora o remédio e os exames, caso o médico peça algum. Prepare-se, a conta do seu cartão pode explodir.

Não se preveniu, o “Murphy” vai aparecer e fazer jus a sua lei. É aquela velha história: quando adolescente você na fila da balada e bem nesse dia que você esqueceu o RG o segurança o pediu? Lei de Murphy.

Para evitar férias frustradas, a melhor opção é já sair do Brasil com uma cobertura contratada. Existem duas opções: o seguro viagem e a assistência viagem. Contratando o seguro, e havendo despesas cobertas pelo plano, ao retornar ao Brasil você deverá levantar a documentação exigida e dar entrada no processo de solicitação de reembolso. Se estiver tudo ok e de acordo com o plano contratado você receberá a quantia gasta/coberta.

Com a assistência viagem, se surgir qualquer tipo de imprevisto, da dor de dente àquele prato exótico que não lhe caiu bem, basta entrar em contato com uma central de atendimento 24h, que indicará um hospital próprio ou credenciado próximo a você e emitirá a autorização de atendimento. Após esse contato, basta ir ao local indicado para ser atendido sem desembolsar sequer R$ 1,00.

Assistências de viagem como as oferecidas pela Travel Ace Assistance , líder de mercado no Brasil e em toda a América Latina, oferecem coberturas de até US$ 1.000.000,00 para assistência médica, além de diversos outros serviços de assistência por um valor que representará menos do que 5% do custo total de sua viagem. Não vale a pena arriscar.

A ideia é que nada aconteça, mas se porventura, todavia, entretanto o Murphy aparecer, dê um “chega pra lá” nele. Independentemente do seu destino viaje tranquilo e se preocupe apenas em não se preocupar com nada.

* Artigo patrocinado

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta