Alimentação nos Estados Unidos, e como eu vou fazer sem arroz com feijão?

A ideia que muitas pessoas têm é de que a dieta dos americanos é composta basicamente de hambúrguer e comida enlatada. Hollywood adora mostrar pessoas se empanturrando de batatinhas e cervejas, sentados à frente da TV e essa é a ideia que fica na nossa mente. É verdade que o americano em geral gosta muito de hambúrguer. Mas gosta também de churrasco, saladas, e muitas outras coisas comuns aos brasileiros.

De fato, se você vier passar um tempo nos EUA não vai sentir quase nenhuma falta das comidas brasileiras. Se você souber cozinhar, dá para repetir todos os pratos que comemos no Brasil. Nos supermercados você encontra todos os produtos que vai precisar. Alguns tem nomes que não tem como adivinhar. Por exemplo, a nossa famosa Maizena você vai encontrar como Corn Starch. A salsinha que usamos como tempero você encontra facilmente na sessão das verduras e com o nome de Parseley. Na internet você encontra listas de tradução de temperos, verduras, etc. É só googolar e pronto! No supermercado, os produtos estão dispostos assim como no Brasil, as farinhas todas juntas, etc. Então é só procurar!

Mas, existe alguma coisa que não se encontra nos supermercados americanos? Já me perguntaram. Algumas coisas são um pouco difíceis de encontrar e você vai precisar usar um pouco a imaginação. Eu não encontrei algumas farinhas, como por exemplo a farinha de rosca(que usamos para empanar), farinha de milho e a farinha de mandioca torrada (a que usamos para fazer a farofa). Outro dia eu vi na internet uma receita de torta de morangos e quis tentar. Não encontrei em nenhum lugar gelatina incolor ou geleia de brilho. Ninguém nunca ouviu falar! A última opção foi apelar para uma receita caseira de geleia de brilho que eu peguei no site da Ana Maria Brega.

Algumas coisas que não existiam nos EUA como o nosso creme de leite(table cream) e leite condensado(sweet condensed milk), hoje você encontra em qualquer supermercado. Quase escondido porque tem bem poucas latas. O americano não conhece e não sabe para o que serve. Várias vezes eu comprei e o caixa ou outra pessoa ao meu lado perguntou pra que servia o creme de leite. Você encontra muitos desses produtos na seção de comidas étnicas. Outros, nós brasileiros é que não conhecemos como Sour Cream, wipped cream, etc.

Requeijão e Nescau são outras coisas difíceis de encontrar. Só encontrei no supermercado brasileiro em Orlando. Mas devido à distância(15km) tenho experimentado produtos similares dos supermercados do bairro. Você encontra aqui muitos tipos de queijos que se adicionarmos um pouco de leite e misturarmos bem passa perfeitamente por um requeijão. Uma porção de achocolatados. Por isso eu digo que, usando um pouco de imaginação e o jogo de cintura do brasileiro, dá pra se viver nos EUA e se alimentar da mesma maneira que no Brasil.

O que mais eu escuto aqui é sobre o arroz com feijão, como eu faço? Acredite, é mais fácil que no Brasil. Eu compro o feijão em lata já cozido(4 latas por 3 dólares), sem tempero e somente com água.

Coloco em uma panela para esquentar, torro o alho na frigideira, adiciono mais alguns temperos e deixo ferver por alguns minutos. O tempo total de preparo, desde abrir a lata até servir não passa de 15 minutos. Eu sou bem exigente com o paladar e posso dizer que o feijão fica o mesmo. Um brasileiro já veio comer aqui em casa e achou o feijão delicioso, até pediu a receita. Você tem a opção também de comprar uma panela de pressão e preparar o feijão como fazemos no Brasil. O arroz dá pra fazer de qualquer maneira. Os mesmos tipos que encontramos no Brasil encontramos aqui também. Eu só uso arroz parboilizado. Somente quando comecei a viver aqui que me dei conta de que parboilizado vem de “par”-parcial o mesmo em português e boilizado vem de “boil” ou “boiled” que significa cozer ou cozido. Par-boiled é parcialmente cozido. Ainda dou muita risada quando ouço alguém falar “arroz parabolizado”

Mas feijão em lata?? Sim, porque não? Quando falamos que americanos gostam dos enlatados, existe um pouco de verdade nisso. Os corredores de enlatados nos supermercados são gigantes se comparados com o das comidas frescas.

Quase tudo o que você encontra fresco, encontra também enlatado. Feijão, vagens(green beans), milho verde, beterrabas, grão de bico e até couve para feijoada, tudo cozido com água. Quem no Brasil compra o sabugo do milho, cozinha, raspa e tira o milho verde para preparar um prato? Nunca ví ninguém fazer isso. Compramos o milho verde em lata no supermercado. O americano faz o mesmo mas, tem uma opção maior do que somente milho verde e ervilhas. Além da praticidade, acredite, é mais barato que comprar o produto fresco!

Por exemplo, um chumaço de couves(collard greens) custa por volta de 3 dólares. Você compra um chumaço, limpa, cozinha e a coisa encolhe tanto que dá pra somente duas pessoas. A mesma porção em lata, picado e cozido só em água você paga 99 centavos de dólar. Pela praticidade e custo eu uso o feijão, milho verde, couve e molho de tomates em lata somente. O resto eu preparo fresco mesmo. Algumas coisas eu nem compro porque são muito caras como por exemplo papaia. 3 dólares “cada um”!

Se decidir usar algo em lata tem a opção de comprar o produto somente em água. Pode confiar que só tem o produto e água mesmo. O americano adora processar e ganha milhões fazendo isso. As empresas tem muito medo de não escrever a verdade nos rótulos dos produtos. Então se está escrito feijão e água, só tem feijão e água mesmo! Não contém conservantes ou corantes. Tem a opção também de comprar já temperado, todos os tipos de feijão que se possa imaginar. Mas os que provei tem gosto de remédio.

Mas afinal, o que é que o americano come? Podemos dizer que o americano em geral não gosta de passar muito tempo na cozinha. Então tudo o que já vem pronto, eles preferem. Por 1,50 dólares você compra um pacote de verduras já picadas, frescas, com uma porção de legumes dentro. Dá para 4 pessoas tranquilamente. Porque então comprar todos eles separadamente, picar, ralar, etc? Além de sair mais caro, dá mais trabalho.

Quando sou convidado para alguma refeição em casa de americanos ou mesmo aqui em casa quando a Louise resolve cozinhar, comemos uma carne, vegetais cozidos e purê de batatas, que o americano come em substituição do arroz. Tudo sem tempero que você só acrescenta sal e azeite. Bem sem graça para falar a verdade. O trabalho de acrescentar temperos, cebolas, salsa e preparar pratos não é comum. O americano tem um forte café da manhã e no almoço somente um “lanche” ou um sanduíche. Nós aportuguesamos o “lunch”(almoço) americano para o nosso “lanche” do Brasil, que associamos com sanduíches.

Tem também aqueles que se alimentam somente dos Fast Foods. Café da manhã, almoço e jantar! Rapidamente passando em um “Drive Thru”, eles compram a refeição para a família toda, mas as pessoas que fazem isso são muito criticadas. Na TV você vê propagandas atacando Fast Foods a toda hora, associando a obesidade a tal tipo de comida.

O “snack” preferido dos americanos (petisco no Brasil) é a batatinha frita no pacote. A famosa Chips. Acredite, tem um corredor imenso somente disso nos supermercados. Na faculdade, a maioria come batatinhas fritas e coca-cola. Eu, sempre com a minha maçã e limonada. Tem que ser forte para resistir à tentação de comer só besteiras porque aqui elas são mais baratas que no Brasil.

Enquanto na TV mais e mais propagandas e programas mostram os perigos de tal dieta, vemos os supermercados daqui lotados desses produtos. Isto indica que a população tem consumido esse tipo de alimento em grande quantidade. O setor de frutas e legumes é minúsculo se comparado ao setor de enlatados, de comidas prontas, cereais e de “chips”. Porém, se você desejar uma dieta saudável o que não vai faltar são opções e com uma vantagem sobre o Brasil. Nos EUA não se paga imposto sobre alimentos de primeira necessidade. Arroz, feijão, frutas, legumes, verduras, pães, batatas, leite e tudo o mais não se paga os 6,5% de imposto que você terá que pagar se comprar batatinhas fritas, bolachas, chocolates, etc. Tudo aquilo que é considerado “necessário” para a nutrição, o governo não cobra o imposto. Neste ponto, o Brasil deveria seguir o exemplo dos americanos principalmente porque nosso povo, em geral, tem um poder aquisitivo menor e eu acho a comida no Brasil muito cara.

Portanto, se você desejar viver nos EUA mas está com receio de sentir falta da maravilhosa comida brasileira, não se preocupe. Dá pra cozinhar da mesma maneira como no Brasil e gasta-se muito menos. Não deixe de convidar americanos para uma refeição. Eles ficarão impressionados com os sabores dos temperos e do capricho com que preparamos nossos pratos brasileiros .

Categoria: Dicas

Tags: , , , , , , , ,

Matérias relacionadas:



Esta matéria foi escrita por:

- que escreveu 6 artigos para o Sair do Brasil.

Renato Alves é natural de São Paulo(SP)Brasil. Formado em Tecnologia em Construções Civis pela Fatec-UNESP e em Licenciatura em Matemática pela Universidade Oswaldo Cruz. Já trabalhou com construções civis, no Banco do Brasil e consultoria financeira. Já visitou 55 cidades em 11 países. Encerrou a carreira de professor de matemática na Escola Carandá em São Paulo em Dezembro de 2009. No mesmo mês, embarcou para Orlando, Flórida (EUA) para iniciar o curso de Arquitetura de Interiores na faculdade americana IADT – International Academy of Design and Technology

31 Respostas para “Alimentação nos Estados Unidos, e como eu vou fazer sem arroz com feijão?”

  1. Brenda disse:

    Brasileiro sempre tem em mente que nao da pra ter a alimentação brasileira nos EUA confesso que tambem pensava assim, principalmente sobre o leite condensado. Vivi em Portugal durante 6 anos e 6 meses, dos 8 aos 14 anos, Pelo o que eu li, o supermecado americano é bem parecido com o supermecado português, claro que a cultura culinária é diferente, mas em questão de produtos alimentícios é bem parecido, tirando umas ou outras coisas. Voltei ao Brasil vai fazer 1 ano e 6 meses. Apesar de amar a comida brasileira, sinto falta da culinária portuguesa, principalmente as sopas. Parabéns pela matéria, muito interessante!

  2. Paulo disse:

    Gostei do texto, exceto a parte sobre comida enlatada. Parece ser visto com muita naturalidade feijão e outras coisas assim. Duvido que tenha o mesmo valor nutricional como é vendido aqui no Brasil.
    Não que eu goste daqui, mas em matéria de alimentação, parece ser muito mais saudável a comida brasileira do que a americana.

  3. Roberta disse:

    Nao sei se alguem ja’ disse isso mas tem farinha de rosca sim, e’ que eles chamam de Bread Crumbs e ao inves de pacote como o brasileiro eles vendem em um tipo de uma lata como a the pringles, procure na area de ‘Baking’.

    A gelatinha incolor chama-se KNOX. Vem uma caixinha com varios saquinhos e voce mistura com agua quente e vira gelatina incolor.

    Nao sei qual a regiao do Brasil que voces sao, mas eu sou de SP e minha mae e’ mineira, ou seja, jilo, couve, polenta e quiabo pra mim foi a dificuldade. Me acostumei com quiabo congelado, e polenta eu deixo cozinha por muito mais tempo pra que os graos do corn meal cozinhem. A couve eu achei no mercado, mas bem carinha. Resolvi meu problema plantando meu jilo, couve, rucula, espinafre brasileiro (new zealand spinach)…ainda nao dei sorte com o chuchu, pois parece que precisa de bastnate tempo pra crescer e meu verao e’ curto :)

  4. Ana disse:

    Como gaúcha que sou, adoro churrasco e coração de galinha assado, queria fazer coraçãozinho e não tinha em lugar nenhum, aí consegui encontrar em supermercado japonês, em Chicago. A única coisa que nunca encontrei aqui são aquelas massas prontas de pasteis bem finas que vc encontra nos supermercados do Brasil. No sul chamamos de pastelina. Para quem não encontrou a gelatina incolor, eu já comprei varias vezes para fazer torta de limão, aqui eles chamam de unflavored gelatine da marca Knox. Vendem nos grandes supermercados.

  5. Melissa disse:

    Olá,

    É o meu sétimo ano morando na América do Norte e nunca deixei de cozinhar meu arroz com feijão.
    Quem quiser dicas, é só pedir! Não uso panela de pressão, uso a croc pot, ou slow cooker. O feijão fica igualzinho.
    Faço feijoada com linguiça defumada e joelho de porco defumado, faço polenta branca e amarela, faço canjiquinha amrela com carne de porco defumada e não parece que estou fora do Brasil. Todos os dias eu cozinho minha comidinha brasileira e não sinto falta da comida do Brasil.
    Estou ao seu dispor para esclarecer qualquer dúvida ou curiosidade que vocês possam ter a respeito de “como se sentir em casa no exterior”.
    Obrigada,
    Melissa.

    • Mariana Ryan disse:

      Ola Melissa,

      Estou querendo receitas brasileiras de como usar a minha crock pot (slow cooker). Eu tenho uma e quase nunca a utilizo. Tambem queria receitas de como fazer um jeijao simples e gostoso na crock pot. Vc poderia me ajudar? Ja estou aqui em Atlanta a 8 anos e preciso comer melhor! Por favor entra em contato! Queria te passar meu email, mas nao sei se devo deixar aqui exposto…

  6. Jess disse:

    Adorei o Post! Tinha maior curiosidade em saber sobre o feijão, muito legal. Nem precisa de panela de pressão, QUE MARAVILHA! :D

    Beijinho :*

  7. auricelia disse:

    legal seu post.mas me diz,qual o creme de leite fresco que se usa nos EUA pra confeitar bolo? vc conhece?

  8. viagem disney disse:

    Orlando tem ótimos restaurantes Brasileiros a menos de 10usd por pessoa… Arroz com feijão a vontade!!! E a comida é muito boa.

  9. leo disse:

    Parabéns pelo POST. Muito bem escrito, com bastante detalhes.

  10. Matheus disse:

    adorei esse site ..me ajudou mto..
    até..

  11. Fernando disse:

    Caro Renato,

    Essencial o seu post. Uma de minhas grandes preocupações
    era como vou fazer sem o arroz com o feijão?

    Muito agradecido,
    Fernando

    • Roberta disse:

      Voce pode comprar arroz e na verdade encontro com facilidade no Costco.
      O arroz que comemos e o Thailandes, chamado Jasmin. O feijao e’ o Pinto (pintado) mexicano. Ele nao e’ como o carioquina mas voce acostuma :)

  12. roberto campos disse:

    Caro Renato,
    ótimo seu post, porém gostaria de insistir que é possível sim, encontrar as farinhas que você disse não ter encontrado, a saber, Cassava flour (farinha de mandioca), Corn flour (fubá ou farinha de milho) e Breadcrumbs (farinha de rosca). De todas as três, Breadcrumbs fica nas gôndolas de farinhas ou naquelas de saches de alimentos semi preparados. Cassava e Corn flours normalmente são encontradas nos setores de comidas exóticas. Na Inglaterra ocorre o mesmo, mas não existe essa divisão, principalmente em Londres, onde a população é extremamente diversificada e o londrino já aprendeu a usar alguns desses alimentos exóticos. Eles usam o whipping cream ao invés do creme de leite enlatado. O whipping cream é batido para afofar e cobrir frutas por exemplo, se bater mais vira chantily porque na verdade whipping cream é o creme de leite fresco. E seu sabor é muito melhor do que o nosso típico enlatado, igual ao da foto. Agora cá entre nós, só sente saudades da comida brasileira quem não sabe ler inglês, porque eles têm praticamente tudo que comemos no Brasil e um pouco mais. LOL

  13. anisper disse:

    adoreii o post!
    logo mais estarei indo para os eua pelo programa de au pair, é mio loucura, nunca sai do país e vou morar com estranhos rs
    mas fico feliz em saber q existe as coisas pra eu cozinhar! hahaha
    minha amiga q está la sente falta do pãozinho frances, ja q la não encontra.. porem tem os de forma! hehe
    bjimm

  14. Danillo disse:

    Cara.. minha noiva compra os sabugos do milho, cozinha e depois tira o milho verde pra colocar na comida..
    Bem melhor que o enlatado!

  15. charles disse:

    Adorei o post, mto bacana.
    Não conheço USA, mas sou facinado por esse país.
    Valeu a dica pra quem pretende ir visitar um dia.

  16. Guilherme disse:

    Parabéns pela matérias , tirou uma grande curiosidade minha e também um dos receios para fazer um intercambio.

  17. Fernando disse:

    Confesso que fiquei surpreso quando passei minha primeira temporada de 15 dias nos EUA. Não comi em fast food em nenhum dia. A maioria das vezes eram carnes grelhadas acompanhadas de legumes cozidos e alguma outra guarnição, além de saladas. Como é possível montar pratos realmente gostosos com pouca gordura e muitos produtos naturais, fiquei com a sensção de que é mais fácil ser saudável nos EUA. Uma coisa difere muito, no entanto: o que nos EUA é um prato individual, no Brasil é servido para duas pessoas e custa aproximadamente o dobro. Equivale a dizer que, mesmo a comida parecendo saudável, americanos comem muito em quantidade. Exageradamente. Levando em conta que isso ocorre no jantar, o saudável deixa de sê-lo.
    Minha impressão final é de que a alimentação nos EUA pode ser muito boa, saudável e barata. Basta não exagerar e fugir do fast food.

  18. dalmo disse:

    Legal!! adorei a iniciativa..de como e viver nos EUA…eu morei no
    japao por muitos anos e breve farei uma postagem de como e o dia a dia de la e como nos alimentamos….um abraco!!!

  19. Elizete disse:

    Oi Re
    Adorei o seu texto, muito bem escrito, com muitas informaçoes e bem detalhado. Gostoso de ler. Um grande beijo Saudades.

  20. Renato Alves disse:

    Helton
    Se voce nao fizer o cambio, o preco da carne eh quase a mesma coisa. 1kg de uma carne que no Brasil custa 8,00 reais aqui custa 8,00 dolares. Carnes mais sofisticadas, file mignon se ai custa 15 reais aqui custa 15 dolares.
    O problema eh que muitos brasileiros multiplicam o valor do dolar por 2 e depois saem dizendo que o kg do file mignon aqui eh 30 reais. Ai da a impressao que eh caro mesmo. O que eh caro eh pagar em “real”. Se vc ganhar em dolar e pagar em dolar sai na mesma.
    Aqui nos EUA pegou a moda do “Buy One Get one Free”. Eu vejo online quando eh que a carne tem essa promocao. Dai compro duas pelo preco de uma. Comprei outro dia 2 kg de peito de frango por 7.50 dolares pelos dois.
    Salsicha como conhecemos no Brasil aqui se chama Hot Dog. Salsicha aqui eh o que conhecemos como linguica. Tem inumeras marcas. Geralmente bem apimentadas. Custam mais barato que a carne.
    Abs!

    • Emmerson disse:

      Muito obrigado pela explicação do preços em real X dolar …. estou a mil anos tentando explicar essa teoria para os amigos (tantos fisicos qto virtuais) para pararem de converter tudo em real e dizer que é um absurdo os preços nos USA!

      Povo no Brasil realmente é meio ignorante e não tem mínima noção o quanto absurdo são os preços aí no Brasil, onde já se viu pagar 80 MIL num Corolla ? Sendo que o msm custa menos de 20 MIL nos USA.

      um ex.

      1 Corolla no Brasil, vc compra quase 2 Mercedes E350 nos USA.

      ou mais absurdo ainda :

      1 Camry no Brasil, vc compra 1 Mercedes S400 + 1 E350 nos USA.

      • Emmerson disse:

        para os mais leigos em carros, vou usar um ex. mais simples :

        pelo preço de 1 Gol 0Km 1.0 pelado no Brasil, vc compra 1 Passat alemão importado 0km 2.0 FSI Turbo com câmbio automático, bancos de couro, teto solar e porta copos !!(rs) nos USA.

        • Renato Alves disse:

          Isso mesmo Emmerson. O que o Emmerson esta querendo dizer, e que pra alguns eh dificil de entender eh a equivalencia.
          Voce ganha 3 mil reais no Brasil e quer comprar um corolla de 80 mil. 80 mil eh 27 vezes o seu salario.
          Vc ganha 3 mil dolares nos EUA e compra um Corolla zero por 15 mil, ou ate menos. 15 mil eh 5 vezes o seu salario.
          Pelo mesmo objeto tem-se que trabalhar no brasil 22 meses a mais.
          Mesmo se vc for comprar o Corolla aqui e pagar “em real” ainda sai por 1/3. Vc vai pagar 28 mil reais num corolla nos EUA.
          Isso acontece porque o imposto sobre carros no Brasil eh 75% enquanto nos EUA eh so 6,5%. Eu acho isso muito injusto.
          Outra coisa. Nos EUA nao tem IPVA. No Brasil paga-se 75% de imposto sobre o carro depois 4% anuais sobre o valor do carro cujos 75% era so imposto. Onde ja se viu pagar imposto do imposto que vc ja pagou???????

          Outra coisa que me tirou o sono outro dia:
          A dona TAM vende a passagem Sao Paulo-Orlando sem escalas para os brasileiros por 5 mil reais. Vende a mesma passagem, nos mesmos voos, no “mesmo aviao” para os americanos por 600 dolares!!?? Nao devia ser o contrario?? Nao devia a TAM ajudar as pessoas do seu proprio pais e fazer os americanos pagar mais caro? Que vergonha! O pior eh que ninguem fala absolutamente nada. Se fosse aqui os americanos boicotariam e, ou a empresa muda, ou sai do mercado. Povo brasileiro! Seja mais unido! Brigue mais! So assim as coisas vao melhorar no Brasil…infelizmente, nao sei se isso eh uma qualidade ou um defeito, o povo brasileiro eh muito pacifico, muito manso…E quem tem os 5 mil pra pagar esta pouco se lixando pra quem nao tem os 5 mil.
          Abs

  21. Helton Ritter disse:

    Ouvi que carne é custoso aí, que o que vende são salsichas e essas misturas. Isso confere?

    • Melissa disse:

      Helton, se você fala “mistura”, você deve ser de SP, não? Demorou muito tempo para eu entender o que a palavra mistura queria dizer.
      Tem salsichas e linguiças no exterior, sim, e são muito gostosas e fáceis de encontrar.
      Melissa

Trackbacks/Pingbacks


Deixe uma Resposta