Página Inicial Mochilão O que todo mochileiro deve saber

O que todo mochileiro deve saber

Olá leitores, hoje trago para vocês as definições de alguns itens que todo mochileiro deve saber. Algumas pessoas, quando estão começando podem se deparar com algum desses itens em algum texto e ficar “meio boiando” por não saberem exatamente do que se trata.

Dividi os itens em 3 seções: Documentação, Hospedagem e Mochilas.

Se você sentir falta de algum item, não hesite em perguntar, estarei totalmente disposto a ajudá-los.

Documentação

– CIV – Carteira Internacional de Vacinação: Alguns países exigem determinadas vacinas para permitir a entrada de estrangeiros. Para comprovar as vacinas exigidas o viajante deve requisitar a Carteira Internacional de Vacinação que, no Brasil, é emitida pela ANVISA. Para solicitar a CIV deve-se procurar um posto da ANVISA que estão situados em Portos, Aeroportos e Fronteiras.

– Passaporte: Documento nacional utilizado em viagens internacionais. Sem ele não é permitido a entrada em outros países, com exceção de países com acordos internacionais, como por exemplo, o Mercosul, onde é permitida a entrada de brasileiros somente com o RG. O passaporte brasileiro atualmente é válido por no máximo 5 anos, para requisitá-lo visite o site da Polícia Federal, faça o pagamento da taxa de 312,14 e agende a visita à um posto da Polícia Federal. O prazo para entrega é de até uma semana.

– PID – Permissão Internacional para Dirigir: Documento que deve se ter ao dirigir em outros países, para solicitar a PID deve-se possuir a CNH dentro da validade, a PID não pode ser solicitado por quem ainda não tem a CNH definitiva. Lembrando que a CNH brasileira é aceita em alguns países por um determinado tempo, mas deve sempre estar acompanhada do passaporte ou RG. Para mais informações consulte o site do Denatran.

– Visa travel money: É um cartão de débito pré-pago aceito para o pagamento de compras em qualquer estabelecimento que aceite a bandeira Visa e também utilizado para efetuar saque na moeda local. Pode ser recarregado por outra pessoa aqui do Brasil, apenas tendo a necessidade de saber o número do cartão.

– Visto: Muita gente ainda confunde o visto com o passaporte. Ter o passaporte não permite a entrada em outros países onde o visto é exigido. O Visto é a permissão dada pelo governo estrangeiro para o cidadão de outro país poder entrar em seu território. Não existe um padrão, cada país define os tipos e validades dos seus vistos. Consulte a embaixada e/ou consulado do país para o qual pretende viajar para saber qual o tipo de visto você precisará para entrar e ficar no país. Os tipos mais comuns são o de turista, o de estudo e o de trabalho.

* Lembre-se de providenciar os documentos para a sua viagem com o máximo de antecedência possível, pois o prazo para emissão de alguns documentos e do visto podem ser bem longos.

Hospedagem

– Albergue/hostel: Hospedagens mais baratas que hotéis e pousadas, mas nem por isso menos confortável. Existem várias redes de albergues, a mais conhecida é a HI (Hostelling International). Muitas pessoas tem certo preconceito quando se fala em albergue, mas existem muitos albergues que chegam a ser melhores que alguns hotéis. “Mas eu vou dormir em um quarto com pessoas desconhecidas?” Não se você não quiser, pois existem albergues que disponibilizam quartos privativos, quartos só para mulheres, quartos para família etc. Outro ponto a favor do albergue é o contato com outros mochileiros e viajantes.

– Lockers: São os armários oferecidos nos albergues onde você pode guardar sua mochila e itens pessoais, leve sempre um cadeado próprio para trancá-los.

Mochilas

– Camelbak: Na verdade são mochilas de hidratação. Camelbak é uma das marcas desse tipo de mochila. Mochila de hidratação é usada para armazenar água durante uma trilha, caminhada ou qualquer outro tipo de passeio. A água fica armazenada em um reservatório que mantém a temperatura da água, vem com uma espécie de mangueira com uma válvula para que se possa carregar nas costas e beber enquanto caminha.

– Mochila cargueira: É exatamente o mochilão. É nela que você levará tudo o que vai precisar durante a viagem. Existem mochilas cargueiras de vários tamanhos, de 35 a 75 litros e até outras maiores. O tamanho escolhido deve ser de acordo com a sua estatura e não com a quantidade de coisas que pretende levar. Os modelos, preços e marcas variam bastante, por isso pesquise muito antes de comprar e de preferência experimente o modelo antes de efetuar a compra.

– Mochila de ataque: São mochilas menores que as cargueiras, de até 35 litros. Muitas pessoas conseguem fazer um mochilão de curta duração apenas com uma dessas, isso vai depender de cada um. A mochila de ataque serve para você levar como bagagem de mão, para que você não precise despachar itens de maior valor como câmeras, por exemplo. Também será utilizada em passeios curtos ou trilhas, levando apenas o necessário enquanto o mochilão com os outros pertences ficam em segurança trancados no locker do albergue.

– Money belt: É um porta-documentos, onde pode se carregar cartões, dinheiro ou outros itens de valores. Vem com um elástico ou cinta e pode/deve ser usado por baixo da roupa como uma forma segura de carregar esses itens.

Até a próxima.

COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom, esse foi o primeiro site que achei e o primeiro post que li foi esse que me esclareceu bastante em relação as documentações.

    Jonathan, se for possivel gostaria se saber dos preços dos hosteis e o tempo que pode ficar por lá, imagino que deva ter um tempo maximo de estadia, certo?
    obrigado pelo post, realmente ajudou.

    • Olá Guilherme, fico feliz que o post tenha sido útil pra vc.

      Sobre sua pergunta, as regras variam de hostel para hostel. Alguns têm limite de diária, outros não.

      Sobre os preços, vai depender do local e data para onde estiver indo. Um hostel no Rio, na época do Reveillon ou Carnaval por exemplo, vai estar bem mais caro que em uma cidade menos procurada e em outra época do ano.

      Dois site que recomendo são o http://www.hihostels.com/ e o http://www.hostelworld.com/

      Um abraço,
      jonathan Padua

Deixe uma resposta