Página Inicial Mochilão Mochilão de aventura: porque fazer? Seis motivos para você viver essa experiência!

Mochilão de aventura: porque fazer? Seis motivos para você viver essa experiência!

Diretamente da redação do blog Dondeando por ai para o site Sair do Brasil.com, começamos hoje uma coluna especial sobre mochilão.

Como 99,9% das pessoas no mundo, eu adoro viajar. Muito! Só que, diferente dos roteiros convencionais para cidades grandes (Buenos Aires, capitais européias, Nova York, etc), sempre optei por lugares mais exóticos. Sou uma apaixonada por mochilões de aventura, e nessa minha busca pelo que era diferente, eu acabava me descobrindo em destinos mais alternativos, com muita natureza ou com a possibilidade de se realizar algum esporte ou aventura que fugisse ao be-a-bá turistão de todo dia.

E o resultado é que descobri uma nova gama de possibilidades de viagem ao começar os mochilões de aventura! Por que as vantagens à primeira vista são as mesmas do mochilão normal: tudo é mais barato e com mais liberdade para montar seu roteiro.  E o “plus”: a possibilidade de ver paisagens arrebatadoras, liberar endorfinas, conhecer novos estilos de vida… Isso só pontuando por baixo!

E por isso, enumero abaixo 6 razões pelas quais eu acho que uma mochila das costas e uma trilha à frente – ao lado de plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho – deveriam constar na “to-do list” de experiências de vida de todo mundo:

1. Paisagens alucinantes: Imaginem um deserto (quente!) cheios de montanhas de cumes nevados (frio!), e nele um

lago congelado (friiiio!) ao lado de um lago de água termal (bem quente e gostosa, que dá para mergulhar e tudo?)… Imaginem um deserto de mais de 36 mil km2 de sal puro, até perder de vista… Ou um lago de água e magnésio que é um verdadeiro espelho?

Sei lá… Longe de mim questionar a energia vibrante de uma cidade grande… Mas acho que caminhar por paisagens assim nos devolvem a dimensão de grandiosidade do mundo, que a gente acaba esquecendo no dia a dia…

2. Conhecer mitos e lendas locais: a maioria dos lugares que são santuários ecológicos ou guardam em si esse apelo de turismo ecológico foram, lá trás, regiões habitadas pelos povos locais antigos (indígenas, maoris, incas, etc) e cuja influência talvez ainda possa se sentir com mais força do que nas grandes cidades. E esses povos, em sua maioria, tinham um contato muito forte com a natureza, atribuindo mitos e lendas a elementos, lugares ou monumentos construídos por eles. E convenhamos: qualquer lugar ou coisa que esteja envolto em uma história antiga “ganha” uma aura toda especial… Senão, as pirâmides seriam só um amontoado de pedra do deserto, Taj Mahal seria um necrotério e Machu Picchu uma cidade em ruínas…

3. Fazer amigos: Se você é descolado, faz amizade com todo mundo e conversa mais que vovó em fila de banco, mochilão de aventura é um prato cheio. Principalmente porque o estilo das pessoas que optam por esse tipo de turismo são jovens (de corpo e de espírito! Vi muito tio de 70 anos de mochila nas costas e uma performance de dar inveja aos garotões marombados), naturebas, consciência ecológica a mil, papo super cabeça, simpáticos e bem humorados (afinal, atividade física libera endorfina!). Não tem tempo ruim com ninguém, e todo mundo acaba entrando na mesma vibe de admirar e curtir a natureza.

4. Fazer uma imersão de fato na cultura de um povo:

Essa talvez seja para os mais tímidos que preferem observar que interagir. Acho que é a melhor forma de se conhecer de verdade o povo que você está visitando. Foi assim que descobri, por exemplo, que o chapéu côco das tiazinhas bolivianas das classes mais populares, por exemplo, tem uma razão que transcende a moda no seu uso: existe uma espécie de convenção que reza que senhoras casadas usam o chapéu reto na cabeça e as solteiras usam meio viradinho de lado.

Quando que eu ia descobrir isso, se não tivesse me embrenhado no meio delas?

5. Ter histórias para contar: Sim, porque o que não falta num mochilão são histórias surreais e perrengues deixar a gente desesperada na hora – mas que rende várias risadas depois com os amigos! Coisas do tipo:

– Atravessar a fronteira Bolívia X Chile – 20 bolivianos pela taxa;

– Transporte da fronteira até a aduana em São Pedro de Atacama em um microônibus boliviano – custo incluso no tour de 4X4 pelo Deserto de Uyuni;

– Ouvir do guia do microônibus: “A viagem daqui até a aduana de São Pedro dura uma hora. No Chile é proibido entrar com cocaína, maconha, heroína, crack e drogas semelhantes. Então, se alguém estiver com algum desses itens, por favor, vocês tem uma hora para consumir.” – Não tem preço!

6. Esquecer da vida: Isso e sério… Uma viagem que envolva qualquer tipo de trekking ou travessia faz bem não só para o corpo, mas para o espírito! É quando a gente sai da rotina do dia-a-dia, e à medida em que a gente vai andando, vamos deixando as preocupações lá trás. Talvez por isso que caminhadas famosas como a peregrinação de Santiago de Compostela ou a trilha Inca guardam um lado místico – porque não é só o lugar em si que conta, mas o quanto você vai repensando na sua vida, em silêncio e só você, ao longo do caminho. Fica mais fácil, nessas horas, rever conceitos supérfluos, ampliar horizontes e pensar em novas atitudes.

Desculpem pela explicação metafísica demais, mas sou uma mochileira inveterada apaixonada por paisagens de trilhas que os mochilões de aventura proporcionam. Acho que elas refletem uma filosofia de vida – e a vida, assim como os caminhos, não foram feitos para se chegar a um destino, e sim para curtir a jornada!

COMPARTILHAR

18 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom o artigo, Clarissa!! Assino embaixo.

    É engraçado como aqui na NZ todo mundo viaja de mochila. É normal, pra qualquer faixa etária. No Brasil é bem mais raro, nunca vi povo pra gostar tanto de uma viagem mala de rodinhas! hahaha

    Se as pessoas soubessem como mochilar é bom né!! Mas eu já to mais pra “mochilinha” do que pra “mochilão”. Menos peso, please! heheh

    Tomara que o seu artigo ajuda a convencer mais gente a fazer isso também. 🙂
    Beijos xx

    • Cris, vou ser sincera. Meu primeiríssimo mochilão foi na Nova Zelândia, em 2006, quando percorri o país inteiro (e que, até hoje, é o único país em que eu moraria absolutamente feliz da vida).
      Lá o estilo de vida é bem esse, e eu adorei. Víamos gente de tudo quanto é tipo mochilando. Até aqui pela América do Sul (Bolívia, Peru, Argentina) tem muitos europeus e kiwis de mochila nas costas. Uma pena que os brasileiros ainda não descobriram isso (e olha que lugares lindos e perto para visitar por aqui é o que não falta)…

      Pois é.. tomara que consigamos fazer essa galera descobrir o quanto isso é bom!

      Obrigada pela visita e pelo comentário!
      Bjs,
      Cla

  2. Nossa…interessantíssimo artigo Clarissa!
    Você acaba de despertar a mochileira que há em mim!..rsrs
    Vou começar a juntar grana a partir de hj..hehe
    ..e escolher uma mochila bem resistente onde que possa carregar somente o necessário para desvendar essa mundão lá fora!Por que daí..a coluna não aguenta né..rsrsrs
    Parabéns!
    Sucesso nas investidas!
    Isso sim é viver!

    • Oi, Simone!
      Fico feliz de ter despertado o seu lado mochileiro! Olha, posso dizer que é uma coisa viciante. Depois do primeiro, você não consegue mais parar!
      Quanto às mochilas, tem que ser resistente (para acompanhar a sua vontade de viver!) e estruturada (para não comprometer a vida útil da sua coluna!). Mas a mochila é o de menos quando o que conta é a vontade de ir!

      Vou colocar mais posts aqui sobre o que levar num mochilão (dicas úteis) e depois contar aventuras e dicas de lugares mundo afora, mas se você quiser ver mais, visita o meu blog depois: http://www.dondeandoporai.com.br Coloquei muito mais relatos por lá!

      E pé na estrada! Caia no mundo sim, dou todo o meu apoio!
      Bjs,
      Clarissa

      • Bom dia Clarissa,
        Parece brincadeira, mas lendo os comentários aqui, acabei encontrando um meu, do ano de 2010. Me surpreendi ao perceber o quanto deixamos nossos sonhos para trás. Hoje, em 2015, volto a ter essa vontade louca de viajar novamente e vejo o quanto de tempo já se passou e nada realizei. Agora, novamente, reacendo a minha vontade e dívida com a vida, e certamente, dessa vez, vou ler todo o seu blog, pois agora vejo que estou mais determinada do que nunca. Quero arriscar, quero viver tudo isso. Quero, assim como você, ter muitas histórias a contar e inspirar.
        Muito obrigada pelas dicas! 🙂

        🙂

  3. Clarissa,
    belíssimo post, sempre tive curiosidade em fazer um mochilão mas me faltava sempre oportunidade e informação sobre como é. Após ler seu post, me decidi, minhas próximas férias sairei mochilando! Se você puder postar os locais ou me enviar um e-mail sobre os locais, como proceder e etc agradecerei muito!
    Bjos, Klaus!

    P.s. primeira visita aqui, voltarei sempre!

    • Obrigada, Klaus!! Que bom que gostou!

      Faça um mochilão sim! É absolutamente viciante! Você vai ver que vai ser a melhor experiencia da sua vida!

      Quantos às sugestões de roteiros, vai depender de qual estilo de lugar você tem vontade de conhecer… Eu já fiz um mochilão pela Patagônia (muito legal, paisagens lindíssimas e muito esporte ao ar livre, como trekking, cavalgadas, etc), pelos centrão da América do Sul (Peru, Bolívia, Chile e Argentina, passando por Mach Picchu e o Salar de Uyuni. Absolutamente fascinante!) e pela NOva Zelândia (muito esporte radical e paisagens míticas, já que foi o cenário da trilogia do Senhor dos Anéis). Então, assim.. Dicas tenho várias!

      Dá uma olhada no meu blog, o Dondeando por aí (www.dondeandoporai.com.br) que lá você já vai achar as informações mais detalhadas e mastigadas de cada roteiro, bem como algumas furadas por onde passei (e que se Deus quiser você não vai precisar passar também!)..

      E se você depois já começar a ter uma idéia do que você pretende fazer, para onde ir e precisar de mais informações, é só entrar em contato!

      Um abraço,

      Clarissa

    • Oi, VG!

      Olha, fiz mais de um mochilão, então depende de onde vc quer! hehe…

      Foram no total três mochilões: um pela Nova Zelândia toda, a segunda pela América do Sul (Peru, Chile, Argentina e Bolívia, com direito a visitas pelo deserto de Uyuni, a maior planície salgada do mundo, e Machu Picchu), e a terceira pela Patagônia… Se você quiser dicas dos dois últimos, dá uma olhada no meu blog, o Dondeando por aí (www.dondeandoporai.com.br) que lá tem tudo timtim por timtim de cada lugar que eu fui desses roteiros, como ir, qual o perrengue e quais as dicas… e o que você quiser saber além daquilo, é só deixar um comentário ou e-mail que eu respondo para você!

      Um abraço,

      Clarissa

  4. Por favor, moça… Eu sou como 99,9% das pessoas e gostaria muito de poder fazer essas mochilagens. Me diga: do que eu preciso para fazer isso? Gostaria de saber de tudo. Custo, tipos de roupa, se dorme-se em barracas ou em albergues, tudo. Será que tem como você me passar isso? Estou esperando contato para conversarmos, ok?! Grata.

    • Oi, Lívia,

      Tudo bem?

      Olha, o que você vai precisar vai depender muito do que você quer fazer, e onde…
      É muito difícil falar sobre custos por alto, tem que se pesquisar. Uma boa dica é você definir o roteiro que você quer fazer (quais os países, que tipo de passeios…) e em cima disso calcular os custos. Tenho um blog, o “Dondeando por aí” (www.dondeandoporai.com.br) com histórias e dicas de viagens de mochilões por onde fui. Blogs são excelente fonte de pesquisa, para você conhecer experiencias de viagens de outras pessoas e em cima disso montar o que você quer. Dicas de blogs bacanas: Matraqueando (www.matraqueando.com.br), Viaje na viagem (www.viajenaviagem.com.br)… O próprio Mochileiros (www.mochileiros.com) é muito bom.
      Albergues são sempre uma boa opção, e são geralmente o que eu curto. O ideal é se associar ao Albergues da Juventude (www.hihostels.com), pq com ele vc consegue bons descontos, além de ir fazendo as reservas dos albergues por lá.
      Quanto à mochilas e roupas, tenho um outro post nessa coluna que fala exatamente sobre isso, com detalhes. Dá uma olhada lá tb!

      Um abraço,
      Clarissa

  5. Olá,

    Vou fazer um mochilão pela europa em novembro, e vou ler todos esses blogs para pegar o maximo de dicas possiveis, vou passar 33 dias, e a minha intenção maior é realmente conhecer as cidades menores, q as pessoas nao vao muito.
    Estou terminando de montar a rota dos países, e depois vou montar das cidades e atrações nas cidades. Para mim, uma coisa boa é que tenho amigos morando em uma boa parte desses países. Mas olha, virei fã do seu blog e desse site, vai ser de grande ajuda para mim.
    Uma dúvida, vc sempre fez esse mochilões sozinha? eu ia com um amigo, mas ele foi morar nos EUA, e estou um pouco preocupado com isso.

    Abraços,
    Gerson Albuquerque
    Fortaleza – Ce

    • Gerson,

      Sou super a favor de você fazer essa viagem sozinho. Claro que tudo tem os seus prós e contras (com um amigo você se sente mais seguro, tem alguém com quem compartilhar suas impressões, gastos, etc). Mas nunca, nunca, deixaria de viajar por falta de companhia.
      Se você ficar hospedado em albergues bacanas, vai acabar conhecendo muita gente nas suas viagens… As vezes, até mais do que teria se fosse com alguém…

      Então, não fique preocupado (fique apenas mais atento, talvez, por razões de segurança)… Mas de resto… Vá sozinho mesmo, caia no mundo… A companhia aparece, você vai ver.

      E sair da rota mais usada é a melhor coisa… Você conhece um mundo que não conheceria se andasse só pelos guias…

      Que bom que gostou do blog! Apareça mais vezes… e boa sorte na sua viagem!

  6. olá Clarissa…Simplismente Parabénsssss pelas palavras!!!
    te admiro ja!hehehe. meu sonho é fazer um tour pelo mundao… pena que nao tenho din din pra isso hehehe … mas meu sonho comeca aqui…vendi meu carro e vou usar a grana para ir para Nova Zelandia…to tirando visto Working Holiday…daew posso trabalhar tambem para poder viajar mais hehehe…sinto que só serei feliz fazendo isso…meu sonhoo!!!! nao sei ingles ainda…mas vou estudar uns tempos la como der e como eu conseguir ir pagando… hehe nao tenho medo de nadaa…eu gostaria muitoe ficaria muitooo gratoo se pudesse entrar em contato com vc, seja por msn ou orku, além do blog eh claro..para se possivel vc me dar umas dicas sobre a Nova Zelandia… pois vou logo falta 60 dias…e foi tudo de ultima hora!! nunca havia planejado algo hehe e foi, eu ia esperar até marco de 2011 mas to ancioso de maisss!! mais uma vesz parabenss..e fica meu e-mail e msn vandeilson_santi@hotmail
    grande beijo tudo de bom…fica com Deus

  7. Super bem inscrito e muito inpirador! Seis ótimos motivos sim…!

    Falta a cultura de mochilar dentro do Brasil mesmo, uma pena. E qto a usar mochila ou mala… é velha discussão, mas de modo geral cada um que use o que preferir e se sentir melhor. Mas concordo: em locais de aventura e dificil acesso mochila não rola! 😉
    Até!

  8. Boa noite,eu gostaria de sabe ro custo mais ou menos,melhor epoca pra ir de onde sair e tal,morro de vontade de fazer um mochilão desses,acho que me cobro bastante por não ter feito,é uma coisa muito particular gostaria muito de fazer,senti a tal liberdade na cara,por favor me ajude chefao@hotmail.es

  9. Clarissa, adorei suas colocações, especificações e experiência. Me diga, o que voce acha de viver de mochilão atè não ter mais lugar onde ir ?

    Abraço, Juca.

Deixe uma resposta