Página Inicial Europa Alemanha Baviera, a porção mais linda da Alemanha (parte 2)

Baviera, a porção mais linda da Alemanha (parte 2)

Este artigo é dedicado à ‘Rota Romântica’, estrada de 350 Km que liga charmosas cidades medievais da Baviera.
Tendo sido selecionado as seguintes cidades para comentários (obs.: aguardo sugestões dos leitores para outras cidades da região que não tenham sido inseridos nestes dois artigos):

Wurzburg: localizada na região administrativa da Baixa Francônia (norte da Baviera), possui 130 mil habitantes e um centro histórico muito simpático. Como se pode ver em exposições no local, a cidade foi praticamente arrasada na II Guerra e se reergueu rapidamente. Em dois dias de passeio, pode-se tranquilamente conhecer seu centro histórico e fortaleza.

Baviera

Hospedagem (dados extraídos do site #hostelworld, período outubro):

– Jugendherberge Würzburg: franquia HI, com 6 camas, 23,90 euros, com café.

– Babelfish Hostel: 35 euros o quarto duplo, em frente à estação, sem café.

Pontos-chave:
– Stift Haug Kirch: com torres imponentes, a Igreja data do século XVII;

Baviera

– Bürgerspital (Hospital Civil): é uma das mais antigas propriedades vinícolas, com 115 há, da Alemanha, e possui um belo pátio e jardim;

– Roter Bau (Edifício Vermelho): casa vermelha, construída entre 1659/60 em estilo renascentista;

– Residenz (Residência): com 40 cômodos, foi construída entre 1720 e 1744 em estilo barroco, foi seriamente danificado durante a II Guerra. Um tour pelo seu interior ricamente ornado e jardins é um belo programa.

Baviera

– Alte Universität: academicamente, é uma das mais importantes universidades europeias, fundada em 1402 ( a 6ª mais antiga) e responsável por 14 laureados pelo prêmio Nobel, entre eles Röntgen, descobridor dos raios-X. É muito importante em Medicina, Teologia, Filosofia e Direito.

– Franziskanerkirche (Igreja Franciscana): é uma das Igrejas mais antigas da cidade, fundada em 1221 e fica ao lado da Universidade;

– Fortaleza de Mariemberg: sobre um assentamento celta antigo foi construído nos anos 704 a Marienkirche (Igreja de Maria). No século XIII, a igreja foi cercada por um muro circular, dando origem ao castelo original. Em 1482 adicionou um segundo anel murada, contendo o portão de Scherenberg, entrada agora fortificada no gabinete interior. Durante as guerras napoleônicas, a fortaleza foi capturada pelos franceses e durante a II Guerra, foi uma das poucas construções que se mantiveram em pé na cidade;

Baviera

– ponte Alte Mainbrucke: A bela Ponte Antiga do Rio Main foi iniciada no século XV em substituição à uma ponte ainda mais antiga, do século XII e é um dos pontos altos a uma visita à Wurzburg. Adornada posteriormente com 12 gigantescas estátuas de santos e personalidades, oferece a mais bela vista do Rio Main tendo como pano de fundo as vinhas, a fortaleza de Marienberg e outros pontos turísticos que formam a elegante paisagem da cidade. A ponte sofreu com anos de desgaste e guerras. Especialmente durante a II Guerra sofreu fortes danos, alguns dos quais irreparáveis, mas após restauro permanece altiva como um dos símbolos maiores de Wurzburg (retirado do site eujafui.com).

Baviera

– Grafeneckart e o Conselho: originalmente sede administrativa do bispado, destaca-se a torre romana e “Wenzelsaal”, que data do século XIII. Desde 1316, o Conselho foi várias vezes ampliado. Junte-se a ele o renascentista “Roter Bau” (Red House) e Preiss Villinger (1659), além do convento carmelita construído em 1712 e anexado ao município no século XIX.
– Dom St. Kilian: é a catedral de Wurzburg, dedicada à Santa Killian, local de morada do bispo da cidade. Com uma torre de 105 m de altura, é a quarta maior igreja alemã de estilo romanesca, construído em 1040.

Baviera

– Falkenhaus: prédio com fachada em estilo rococó, data de 1413 e, atualmente, é um Centro de Informações.

– Marienkapelle: igreja construído em estilo gótico, se localiza em frente ao mercado público.

Baviera

Rothenburg ob der Tauber: cercada por muralhas, é um ponto obrigatório de parada, para um dia de passeio. A cidade não possui mais do que 10 mil habitantes, tendo sido fundada no final do século X. Caminhar por suas ruas estreitas, subir a lateral de sua muralha, vislumbrando o vale Tauber logo abaixo, é um passeio lindo e uma volta no tempo. A cidade possui muitas fontes dispersas, pois durante muito tempo a falta de água foi um problema. Em caso de hospedagem local, sugere-se (retirado do site #hostelworld para outubro de 2010) Youth Hostel Rothenburg o.d.T. (selo HI)- quarto duplo por 25 euros, com café da manhã, a 5 minutos do mercado e 15 minutos da estação;

Baviera

Pontos-chave:

– Ratstrinkstube (Taverna do Conselho da Cidade): fundada em 1446, possui inúmeros relógios em sua fachada, sendo o principal construído em 1683. Atualmente, é um escritório para informações turísticas;

Baviera

– Rathaus (City Hall): localizada na Quadra do Mercado (Marktplatz), corresponde ao centro da vida urbana. O Rathaus consiste de dois prédios. A porção gótica, com sua torre, foi construída entre 1250 e 1400. A parte frontal, em estilo renascentista, foi erguida um pouco depois (entre 1572 e 1578);

– Fonte de São Jorge: uma das 40 fontes da c idade, possui 8 metros de profundidade e potencial para 100 mil litros, é a maior da cidade. A decoração, com estilo Renascentista, data de 1608;

Baviera

– Klingentor (Portão de Klingen): foi completado por volta de 1400 e servia como um reservatório de água. Você pode subir, através dele, para as muralhas que protegem a cidade.

Baviera

Em frente a ele avistamos a Igreja de St Wolfgang, do fim do século XV, com estilo gótico;

Baviera

– Portão de Röder: porta de entrada da cidade para que vem da estação central, é o maior portão e sua construção data do fim do séculoXIV;

Baviera

– Igreja de St Jacob: igreja protestante que iniciou suas obras em 1311, terminando em 1485. É a maior igreja da região, famosa por seus altares;
– Igreja de S. João: erguida entre 1390 e 1410, fazia parte, em sua fase inicial, de um dos portões da cidade;

Füssen: pequena cidade com 14 mil habitantes., localizada no extremo sul da Baviera, distrito de Ostallgäu, a apenas 5 Km da fronteira com a Áustria. Encravado entre as montanhas alpinas, às margens de um lago belíssimo (Forgensee).

Baviera

Em caso de hospedagem local, sugere-se (retirado do site #hostelworld para setembro de 2010) House L.A. – City Hostel Fussen – quarto com 4 camas por 18 euros, sem café da manhã, muito bem localizado. A cidade é famosa pela presença de dois castelos construídos pelo rei Ludwig II: Neuschwanstein (o maior) e Hohenschwangau (menor).

– Hohenschwangau: menos famoso, mas não menos interessante de se visitar. Em particular, seu mobiliário original data do século 19 e vale uma visita.

O antigo castelo de Schwangau (Schwanstein), que já estava em ruínas e inabitável, quando a aristocracia Schwangau morreu, foi comprado em 1535 pelo patrício e Imperial Conselheiro Johann von zu Paumgartner e completamente reconstruído entre 1538-1547. Ele deu-lhe o novo nome “Hohenschwangau”. Quase 300 anos mais tarde, o prédio foi novamente feito em ruínas. Em 1839 o príncipe herdeiro da Baviera Max, o filho de Ludwig I, veio ao distrito de Füssen, por ocasião de uma excursão com sua professora e adquiriu este edifício em ruínas.

Baviera

Ele tinha reconstruído de acordo com antigos planos existentes pelo arquiteto e pintor Domenico Quaglio que, embora tenha vindo originalmente da área do Lago Como, há muito já havia se estabelecido em Munique. Nomes como Salão do Cisne do Cavaleiro, Sala de Guelph e Sala de Hohenstaufen são indícios de uma ligação viva para sagas e história. O pátio do castelo, cuja melhor ornamentação é a Fonte de Maria, é imediatamente adjacente ao jardim do castelo, que é cercada por um muro exterior. No centro de um canteiro circular há uma piscina com um cisne de água jorrando. (Texto extraído do site #fussen.de)

Tickets: preços de abril a setembro, das 9h às 18h- 10,50 euros, inclui Neuschwanstein. As visitas são agendadas. Se atente a isto!

– Neuschwanstein: construído entre 1869-1886, com a sua localização deslumbrante e fantástica decoração interior, é único no mundo – e uma atração para milhões de visitantes.

Baviera

O edifício foi concebido como um castelo medieval no estilo dos séculos XII- XIII. A fachada externa do portão foi concluída em 1873. O edifício principal e os prédios adjacentes foram construídos com mármore da pedreira de Schwangau, em Schwansee (Swan Lake). Foi modelada em grande parte da Wartburg, na Turíngia. O castelo era constituído por três edifícios: a portaria, Edifício do Cavaleiro (a principal via residencial) e do sustento. O trabalho de construção original durou 17 anos e teve que ser interrompido por causa da morte precoce de Ludwig.

Baviera

Até então, dos quartos na principal via residencial, apenas o térreo (cozinha e quartos adjacentes), o terceiro andar (apartamentos do rei e da Sala Bavierado Trono) e no quarto andar (Hall Singers) tinha sido concluída. Os quartos são ricamente decorados com obras de artes e ofícios, há retratos da saga Tannhäuser, de Lohegrin, Tristão e Isolda, o Nibelungenlied, Parzival e da vida de Walter von der Vogelweide, um poeta lírico medieval alemão.

O primeiro concerto no Pavilhão do cantor foi realizada em 1933 para marcar o 50 º aniversário da morte de Richard Wagner. (texto extraído do site #fussen.de)

Não custa nada lembrar que este castelo inspirou o castelo da Cinderela de Walt Disney. O castelo fica no alto de uma montanha, e podemos chegar até lá de três maneiras: ônibus, de charrete ou, um meio mais em conta, caminhando com dezenas de outros turistas, pelas alamedas no meio de uma floresta, um percurso de cerca de 30 minutos. É um passeio imperdível!!!! A vista da cidade, com seus lagos a partir dos salões do castelo é de tirar o fôlego!

COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. jáá fui pra bavieraaa!!! é lindaaa!!! porém não tive tempo de entrar no castelo 🙁 mas subi até lá, a vista é incrivelll!!!! desejo voltar um dia! 🙂

  2. Luciano, boa tarde, gostaria de saber quantos dias você gastou pra fazer a rota romäntica e s qual o meio de transporte que você usou.Sei que a rota é de 370 km e tem 27 cidades. Você foi em todas ; em quais voce dormiu. Fiz um cálculo de fazer a rota em 3 dias, infelizmente näo disponho de mais tempo. O que me aconselha fazer, vou começar por Fussen e terminar em Wursburq. Obrigada. Um grande abraço. Moadia. ( moadiabayma@yahoo.com.br)

    • Moadia
      O melhor meio de transporte é o carro. Minha sugestão é vc ir de trem até uma cidade da rota e de lá açugar um carro. Três dias serão suficientes, desde que vc se organize em qtas cidades vai visitar e o tempo em cada uma.
      Boa viagem!
      Na verdade, não fiz a rota tofda não, porque fui de trem e as conexões eram muito demoradas. Conheci apenas três cidades (Rothemburg, Fussen e Wurzburg).

Deixe uma resposta